Acesse a Loja

O mês de maio viu o início da implementação da metodologia 5s na Cetro. Palestras, avisos e discussões são parte da primeira etapa de um processo de estruturação organizacional e de formação corporativa da empresa a longo prazo.

Trazer a metodologia japonesa para o cotidiano, no entanto, passa por entender como ela transformará o dia a dia dos diferentes setores da Cetro. Cassio Moratelli, Gerente de Operações Logísticas, aponta algumas das melhorias que a iniciativa trará para os armazéns da empresa.

Acuracidade e Redução de Custos

Para além de uma questão visual, muito associada as formas de sinalização propostas pelo 5s, um dos benefícios de um armazém regido pela metodologia é o aperfeiçoamento de todo o ciclo do produto. A visualização do desperdício, seja de tempo ou de materiais, e consequentemente a sua eliminação, aumentam a eficácia das operações de armazenagem, explica o profissional que há 7 meses está à frente da logística da Cetro.

As atividades impactadas pela implementação do 5s, como “o andar mais do que a necessidade, o pegar mais do que o necessário”, serão trocadas por “uma movimentação com mais eficiência, o tirar e realmente levar para o lugar correto”, exemplifica Cassio.

Tecnologia e eficiência

“Um dos pontos que a metodologia vai nos ajudar a melhorar é a separação dos pedidos.”, explica o gerente de logística. Para mudar essa realidade, a implementação do 5s vem ao encontro do processo de transformação digital (T.D.), que conta com a introdução de novos sistemas e bases de dados para o aperfeiçoamento das operações da empresa.

Passo fundamental do processo de T.D. é a introdução do sistema SAP, um dos melhores softwares de gestão empresarial do mundo, que irá aprofundar a informatização de todo o processo de gerenciamento dos armazéns da Cetro. Coletores digitais, endereçamento, padronização de etiquetamento, nomes e códigos de maquinários, todos serão ainda mais integrados aos canais de venda e atendimento ao consumidor.

Mas, onde entra o 5s nessa história? A organização precisa ser uma base inegociável da cultura organizacional da Cetro.

De nada adianta o endereçamento correto em uma plataforma digital, se os corredores do armazém estão intransitáveis. “O 5s ajuda no que? Na organização da prateleira, onde vai estar esse material”, pontua o profissional. “Se a gente coleta 10 pedidos em 20 minutos, vamos trabalhar pra coletar 20 pedidos em 20 minutos.”, explica Cássio. Diminuir o tempo do ciclo do pedido como um todo é, no fim das contas, melhorar o tempo de entrega para o cliente e possibilitar a abertura de novas vendas.

Imagem de ilustração: Cassio Moratelli (à frente) e sua equipe de operações logísticas(da esq, para dir), Zenilton dos Santos, Kermesson da Silva, Luiz Fernando de Almeida, Raul dos Santos, Augusto Golzio e Denis Teixeira; no armazém central da Cetro na sede da empresa em Bauru (SP) em 2022 em meio a introdução do Programa 5s. (Créditos: Luís Germano/CETRO)
Cassio Moratelli (à frente) e sua equipe de operações logísticas(da esq, para dir), Zenilton dos Santos, Kermesson da Silva, Luiz Fernando de Almeida, Raul dos Santos, Augusto Golzio e Denis Teixeira; no armazém central da Cetro na sede da empresa em Bauru (SP) em 2022. (Créditos: Luís Germano/CETRO)

O que se transforma com o 5s no dia a dia da Cetro?

Como lembra Cássio, “nós temos um alto custo de máquinas e pessoas trabalhando para a manutenção do estoque.”. Para o profissional, o processo de implementação das metodologias de organização no setor de logística é  “baseado na redução de custo, sem que se impacte o nível de serviço”.  

A aplicação do 5s proporcionará ainda, a minimização de muitas das perdas implícitas no armazém, uma vez que o processo facilitará a continuidade das operações em caso de interrupção no funcionamento dos sistemas. Além disso, erros de operação e desperdício de tempo durante a adaptação de novos funcionários serão combatidos, uma vez que o novo colaborador poderá contar com um ambiente organizado, sabendo o que deverá fazer a partir de manuais descritivos de toda a sua área de operação, explica o profissional.

O 5s e a segurança do trabalhador

“Dentro dos armazéns nós temos trânsitos de empilhadeiras, de pessoas, de carrinhos hidráulicos. Então quando a gente entra e ele está desorganizado, há perigo para os colaboradores e para o patrimônio da empresa.”, enumera Cássio, expondo os riscos cotidianos presentes em um ambiente de alta movimentação com equipamentos pesados. Essa é a diferença do 5s segundo o profissional: “corredores livres para o trânsito de pessoas e de empilhadeiras melhora a nossa eficiência e aumenta a segurança de todos”

A lógica da organização passará a reger toda atividade do setor: “quando nós pegamos um pallet é aquela questão, ‘pra onde ele vai?’, o 5s favorece esse pensamento, quando eu tiro alguma coisa de um lugar eu tenho que levá-la para um lugar específico.”, segundo o gerente, a eliminação de movimentos desnecessários é outro importante ponto de diminuição dos acidentes de trabalho.

O profissional é taxativo quanto a importância do estabelecimento de normas que garantam a integridade do colaborador “desde a hora que eles entram na Cetro”, até o momento de ir embora: “sair da mesma forma que eles chegaram, sem nenhum arranhão, sem nenhum machucado.”.

Cassio Moratelli (à frente), gerente de operações logísticas com sua equipe(da esq. para dir.),Augusto Golzio, Teruo Haraoka Luiz Fernando de Almeida, Fernando Souza; no armazém da Cetro em Bauru/SP, Abril de 2022 em meio a implementação do Programa 5s (Créditos: Luís Germano/CETRO)
Cassio Moratelli (à frente), gerente de operações logísticas com sua equipe(da esq. para dir.),Augusto Golzio, Teruo Haraoka Luiz Fernando de Almeida, Fernando Souza; no armazém da Cetro em Bauru/SP, Abril de 2022 (Créditos: Luís Germano/CETRO)

Preparos para a internacionalização

Desde que chegou na Cetro, Cássio busca passar para sua equipe a importância de três pilares para o desenvolvimento de uma empresa: o atendimento ao cliente, a qualidade na prestação de serviços e a segurança.

No segundo item, o 5s servirá como porta de entrada para outras metodologias de qualidade, segundo o profissional, citando qualificações como a Logística Lean, voltada para redução de custos na totalidade do sistema de produção, e a IS0 9001, norma internacional de garantia da qualidade de produtos e serviços. A busca por excelência em cada experiência e jornada dos clientes e parceiros Cetro passa também pela objetivação, a curto e longo prazo, da estruturação organizacional da empresa.

A expansão internacional da Cetro é baseada, também, no reconhecimento da necessidade de atendermos as normativas internacionais, como a ISO 9001. Como coloca Cássio “nós já temos uma estruturação, agora vamos investir na organização com qualidade. E a qualidade vai abrir portas para nós, nacionalmente e internacionalmente, sem dúvida nenhuma.”

tt ads

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.