Os carros voadores e o teletransporte talvez ainda sejam tecnologias fora da realidade, não foram completamente descartadas, mas então… em que pé estamos quando o assunto é tecnologia avançada?

Nunca estivemos tão tecnológicos quanto hoje e, a partir disso, começamos a estabelecer prazos para que estas tecnologias avancem e estejam disponíveis para a sociedade o quanto antes.

São anos e anos de estudos, ideias, debates e projetos revolucionários com base de investimentos cada vez mais milionários (ou bilionários), onde grandes atores do cenário global, como marcas, empresas e ou pessoas influentes no mundo da inovação e transformação tentam garantir possíveis acessos a sociedade.

O futuro é incerto, porém altamente apreensivo, se tornando cada vez mais aguardado para quem espera um dia poder usufruir das mais diversas e avançadas tecnologias e ainda com a esperança de se tornarem super acessíveis.

O metaverso pode ser a alternativa para uma realidade aumentada e totalmente virtual

O Metaverso, por exemplo, pode estar encabeçando uma geração de possibilidades, inserindo pessoas comuns em realidades virtuais com diversas maneiras de “ser” e infinitas visões de mundo dentro de um mundo inteiramente virtual.

A inteligência artificial vem sendo aperfeiçoada para, um dia, reduzir cargas de trabalho em diversos departamentos dependentes de ações humanas. A I.A. é muito conhecida pela sua dominância em aplicativos de navegação, reconhecimento de imagens e vozes e caminha para integrar processos de análise de dados de usuários e consumidores de tecnologia, afim de potencializar buscas de determinados assuntos de interesses mútuos.

Echo Dot com assistente de voz Alexa, a “secretária” individual da Amazon, é umas das mais inteligentes inteligências artificiais de reconhecimento de voz do mundo.

Após o longo período da pandemia, é correto afirmar que utilizamos muito mais itens tecnológicos para nos comunicar, trabalhar e viver nessa realidade impactante. É fato que todo tipo de tecnologia foi aperfeiçoada com o intuito de facilitar essas ações, como softwares de comunicação consistentes, pensando que muitos trabalhos passaram a ter presenças remotas por conta do distanciamento social.

Se pensarmos que grandes marcas não dependem mais de comerciais na TV e revistas para se promoverem, entendemos que a internet concentra as principais tendências e é a principal forma de exposição destas marcas ao sucesso de seus algoritmos.

O marketing avança através de tecnologias consistentes e, hoje, está presente na realidade de parte da vida de muita gente, como redes sociais, realidade aumentada, realidade virtual, pagamentos digitais, buscas inteligentes por voz, vídeos e até mesmo o Metaverso, muito esperado e visto com grande potencial para atender a grandes corporações e vislumbrar um mundo, literalmente, cheio de oportunidades virtuais, colaborando para que pessoas interajam em um mesmo ambiente virtual, mas distantes no mundo real.

Os influenciadores também são peças importantes para adequação de marcas ao público e, consequentemente, engajar muitos produtos ao gosto da população.

Rede 5G já é uma realidade ao usuário comum

São pessoas que utilizam de suas imagens para promover novidades de marcas mundialmente conhecidas. Uma grande tendência ao longo que, se o uso contínuo de aparelhos eletrônicos, como celulares, computadores, tablets e atém mesmo computadores de bordo de carros forem levados em consideração.

Apesar de grandes evoluções, a tecnologia avança de acordo com bons e generosos investimentos que atingem números incabíveis, porém necessários a fim de sanar necessidades existentes ou mesmo para progredir com pioneirismo em relação aos produtos lançados por concorrentes.

Um bom exemplo que pode unir tudo de forma gradativa são os celulares cada vez mais propensos a garantir ao usuário experiências futurísticas, como zoom óptico, câmeras sob a tela, carregamentos ultrarrápidos, altas taxas de atualização e o próprio 5G, que cada vez mais toma conta das novas tendências “muito necessárias” que facilitam cada vez mais a usabilidade de eletrônicos no mundo e a agilidade na busca de dados e informações.

Tantos recursos em desenvolvimento, como machine learning, blockchain e automação podem ser um caminho para retomada econômica já que vivemos em uma constante instabilidade desde o início da pandemia.

Cada empresa com potencial de uso alguma dessas tecnologias tem muito a oferecer e cabe a essas corporações extraírem o melhor delas, pois a maioria tende a estimular a capacitação dos profissionais de T.I., sendo necessária a capacitação e treinamentos para melhor posicionamento da organização e para que consigam acompanhar a evolução e a modernização.

Todos sabem quem é, mas poucos conhecem de verdade o homem com ideias de outro planeta, literalmente; conheça um pouco mais sobre a figura atípica de Elon Musk

Se você não estiver em marte, provavelmente já ouviu falar de Elon Musk, o homem que, na realidade, gostaria que em breve eu, você e muitos outros seres-humanos pudessem aterrissar no planeta vermelho.

Elon Reeve Musk, o homem mais rico do mundo na atualidade, a frente apenas de Jeff Bezos, é conhecido não apenas pela sua fortuna bilionária avaliada, hoje, em US$282 bilhões (em dólar), mas também pelas suas inúmeras empresas de tecnologia ultramodernas, como a OpenAI, Neuralink, The Boring Company, Solar City, PayPal, assim como as mais conhecidas SpaceX e Tesla, Inc.

O empreendedor e filantropo sul-africano, naturalizado canadense e americano vem fazendo sucesso no mundo desde os anos 80, quando embarcou no mundo dos negócios com apenas 11 anos. Nascido em Pretória na região de Transvaal, na África do Sul, é filho da modelo e nutricionista canadense Maye Musk e do engenheiro eletromecânico, piloto, marinheiro, consultor e promotor imobiliário sul-africano Errol Musk.

Elon Musk no Met Gala 2022

Junto a seus irmãos Kimbal e Tosca, teve uma vida um tanto quanto luxuosa graças a fortuna de seu pai quando foi proprietário de uma mina de esmeraldas na Zâmbia. Leitor e autodidata, aprendeu linguagem de programação aos 11 anos, quando vendeu um código de um jogo de vídeo game chamado Blastar, baseado na linguagem BASIC, por 500 dólares. Basicamente, Musk daria indícios de como ser um grande empreendedor.

Três anos após ser aceito na Queen’s University em Ontário, no Canadá, transferiu-se em 1992 para Universidade da Pensilvânia nos EUA e obteve seu bacharelado em física. Elon também é formado em economia pela Wharton School of Business e, em 1995, já na Califórnia, deixou o programa de doutorado em física aplicada e ciências dos materiais na Universidade de Stamford para seguir sua futura carreira empresarial.

Os passos de Elon Musk para o sucesso empresarial começam quando, na Califórnia, junto a seu irmão Kimbal Musk e seu amigo Greg Kouri fundam a Global Link Information Network, posteriormente chamada de Zip2.

Zip2

Basicamente, a Zip2 fornecia presença na internet à empresas locais, associando seus serviços a pesquisadores e futuros clientes e destinando orientações. Ela permitia a comunicação bidirecional entre usuários e corporações, onde os anunciantes podiam receber mensagens dos usuários e direcioná-las para a máquina de fax.

Após receber um investimento de US$ 3 milhões e passar a vender pacotes de software back-end nacionais para jornais com o intuito de construírem seus próprios diretórios, a empresa fechou acordos com gigantes com o The New York Times, Knight Riders e Hearst Corporation. Em 1999 Musk e seus sócios venderam a empresa para a Compaq Computer por US$ 305 milhões.

X.com/PayPal

No mesmo ano, Elon Musk usou 10 milhões da venda da Zip2 e co-fundou a X.com, empresa com foco em pagamento de serviços financeiro online com serviço de transferência que após 2 anos ficou conhecida internacionalmente como ‘PayPal’ e teve seus serviços alavancados após milhares de usuários receberem dinheiro para utilizarem na plataforma.

Após desentendimentos com líderes de outras empresas, Elon foi expulso, ainda em 2000, do seu cargo de CEO, possuindo 11,7% de ações da empresa, sendo, então, o maior acionista.

A gigante plataforma de vendas eBay acabou adquirindo a PayPal por US$ 1,5 bilhão e Elon Musk recebeu nada mais nada menos que US$ 165 milhões. Alguns anos depois, em 2017 o bilionário comprou o domínio da X.com por se tratar de um “grande valor sentimental”.

SpaceX

Talvez o seu projeto mais ambicioso já porto em prática, a Space Exploration Technologies ou SpaceX, fundada em 2002, desenvolve, aprimora e constrói veículos espaciais focando em tecnologia avançada de foguetes. Falcon 1 e Falcon 9 são os primeiros veículos de lançamentos de foguetes da companhia, além de uma nave espacial denominada Dragon. Em 2008, o Falcon 1 colocou um satélite na órbita terrestre, evento pioneiro se tratando de um financiamento privado.

Mas Musk fez mais, 4 anos depois a nave espacial Dragon ancorou à EEI (Estação Espacial Internacional) marcando a empresa do sul-africano na história. A partir daí, Elon Musk conspirou ideias de colonização de Marte com a possibilidade de uma futura catástrofe do planeta Terra.

Mais tarde, entrou novamente para a história ao enviar quatro “pessoas comuns” à orbita da Terra como uma espécie de “turismo espacial”, tornando cada vez mais próximo sua ideia de colonização e turismo.

Tesla, Inc.

O ano era 2003 e o mundo dos automóveis ganhava mais um concorrente, dessa vez os engenheiros Martin Eberhand e Marc Tarpenning em San Carlos, na Califórnia fundavam a conhecida Tesla Motors, Inc., empresa automotiva e de armazenamento de energia, desenvolvendo, produzindo e vendendo carros elétricos de altíssimo desempenho.

Claro, em algum momento Elon Musk surge tomando posse, e é exatamente após liderar a Série A de investimentos, após o financiamento inicial dos engenheiros. Musk então torna-se presidente da gigante dos carros elétricos em 2004, tendo como objetivo principal a comercialização de carros tradicionais movidos a eletricidade.

Elon Musk estaria determinado a dar fim aos motores a combustão e diminuir os efeitos do aquecimento global gradativamente. Com ultramodernidade e sem agressão ao meio ambiente, mais a tarde a já mundialmente conhecida Tesla Inc., optou por introduzir hardwares necessários para que o condutor não precisasse tocar no volante.

Model S produzido pela Tesla e lançado nos EUA em 2012

Após lançamentos, como o Tesla Roadster, Model S, Model X, Model 3, entre outros, em 2017 a montadora se tornou a mais valiosa dos Estados Unidos, desbancando grandes marcas, como a General Motors, Ford e Dodge.

Com o sucesso crescente e sua mente brilhante, a marca Tesla Inc. possui fábricas em Nevada, Nova York, Xangai e Berlim, sendo avaliada, hoje, em US$ 834 bilhões. De fato, Elon Musk é determinado em tocar em tudo que em algum momento virará ouro, mas, talvez, apenas após o seu toque.

Quase Falência

Antes de todo esse sucesso da SpaceX, Musk passava pelo momento mais conturbado da sua vida. Em meio a crise de 2008, com derretimento da bolsa de valores e o fim do seu casamento com sua primeira esposa, Justine Musk, Elon teria US$ 90 milhões em caixa, após um investimento mal sucedido de outros US$ 90 milhões em suas empresas, Tesla, SpaceX e SolarCity. Para lançar seu primeiro foguete ao espaço teria três tentativas que custariam todo o seu dinheiro.

Decidido, o bilionário investiu tudo que restava em suas empresas para que não houvesse falência e passou a depender de amigos para que pudesse pagar o aluguel de sua casa. As tentativas de lançamento falharam uma após a outra deixando a empresa a beira da falência.

Com algumas dezenas de milhões em caixa, Elon Musk decidiu novamente dividir o dinheiro entre a Tesla e SpaceX, mesmo com a possibilidade de perder as duas corporações juntas.

Sem formação em engenharia espacial e sem apoio de engenheiros especialistas em foguetes, ele teve que buscar o sucesso aeroespacial através de estudos e pesquisas, aprendendo sozinho sobre algo extremamente complexo. Como outras pessoas não especialistas, Elon não sabia muito sobre foguetes e, muito menos, sobre como construir um.

Apesar do momento difícil, após milhares de horas de estudo, o quarto lançamento foi um sucesso e talvez o plot twist de sua vida, contornando toda a fase ruim do empresário, com comemoração da equipe e o alívio de saber que não teria mais condições para um quinta tentativa.

SolarCity

A SolarCity, empresa de comercialização, fabricação e instalação de painéis solares comerciais e residenciais, era a segunda maior fornecedora de sistemas de energia solar dos EUA, então adquirida pela Tesla em 2016, agora subsidiária integral da empresa.

A intenção da SolarCity inicialmente era ajudar a combater o aquecimento global. Pode não parecer, mas Elon não se preocupa tanto em ganhar mais dinheiro, ele tende a usar sua mente brilhante para sonhar alto com tecnologias ultramodernas e torná-las acessíveis para a humanidade, como o caso da Neuralink.

Neuralink

Unir inteligência artificial de máquinas ao cérebro humano e permitir que os avanços tecnológicos estejam implantados ao nosso intelecto para criar interfaces mente-computador. Basicamente, este desafio vem sendo estudado pela Neuralink desde 2016 tendo Musk como co-fundador.

Em 2017, em uma matéria para a revista Rolling Stones intitulada “Elon Musk: The Architect of Tomorrow”, ele diz que: “As máquinas não podem nos surpreender se tivermos tudo o que as máquinas têm mais tudo o que temos. Pelo menos, isso é, se você admitir que o que temos é realmente uma vantagem”.

Claro, Musk tem ideias além de uma forma de implantar tecnologia artificial ao cérebro humano, que por si só já parece ser algo fora da realidade. A empresa pretente, futuramente, elaborar dispositivos para tratamento de doenças cerebrais graves, criando expectativas de um dia alcançar o aperfeiçoamento humano.

The Boring Company

Cansado de ficar preso em trânsitos, Elon Musk decidiu criar uma companhia de infraestrutura e construção de túneis em 2016. Inicialmente esta ideia foi citada por ele na rede social Twitter, onde citou as dificuldades da atual rede de transportes da cidade. Assim nasceu a The Boring Company.

O empresário relatou em 2017 que a primeira rota idealizada pela companhia será do Aeroporto Internacional de Los Angeles à Westwood, um bairro da cidade. Hoje, o trajeto pode durar até 45 minutos.

Viagens assim terão como transportes carros em trenós elétricos que poderão alcançar até 200 km/h através dos túneis. Recentemente anunciou um acordo para adquirir o Twitter por US$ 44 bilhões tornando-se a maior negociação envolvendo uma rede social.

Outras atividades, como a Hyperloop, projeto de transporte de pessoas e cargas livres de resistência do ar ou atrito em alta velocidade com extrema redução de tempo e a OpenAI, empresa de desenvolvimento de inteligência artificial benéfica e segura para a humanidade, sem fins lucrativos, a fim de neutralizar a concentração de poder sem gerar monopólios de grandes corporações dedicadas aos lucros, são mais alguns projetos que tendem a crescer e modernizar cada vez mais o planeta Terra como um todo.

Elon Musk é, de fato, um dos homens mais influentes do mundo. Apesar de multibilionário com ideias para lá de surpreendentes, ele defende causas impactantes no mundo e que são pautas diárias da sociedade, como meio ambiente, ciência, medicina e acesso comum de tecnologias a pessoas que precisam.

Parece ser com sua humildade e extravagância de personalidade rara, conhecer os caminhos do verdadeiro sucesso, sendo uma inspiração para qualquer um com a intenção de mostrar ao mundo para o que veio.

A ligação já existia e agora torna-se consolidada com a implementação do laboratório tecnológico e indicação de estudantes à vagas de estágio

A medida que a Cetro inova em tecnologia e equipamentos para pequenas, médias e grandes industrias, a empresa bauruense vem ganhando cada vez mais espaço no cenário empresarial do país, formulando estratégias de negócios, parcerias, cursos e, agora, com a alta capacidade profissionalizante junto a Fatec de Bauru.

A parceria acrescenta mais um grande passo aos estudantes da instituição, desenvolvimento e expansão dos profissionais que atuam na maior empresa de máquinas para embalagens do Brasil.

A Fatec de Bauru, cujo a disponibilidade de cursos tecnólogos abrange áreas da informática, automação, empresarial e hospitalar, abriu conversas com o time da Cetro a fim de viabilizar a parceria onde alunos da faculdade possam, futuramente, ter a acesso a vagas de estágios disponíveis, assim como possíveis efetivações e ofertas de emprego em andamento.

A ideia surge – e toma corpo – após uma reunião realizada na matriz da Cetro, em Bauru, SP, onde participaram o Diretor Fatec Bauru, Drº Sebastião Gândara, o Cord. Automação Industrial – Drº Tiago Vicentin, o Profº Esp. Ralf Dworak e alguns membros do #teamCetro, como engenheiros, técnicos em informática e RH.

Diretor, coordenador e professor da Fatec estiveram na Cetro para debaterem sobre a nova pareceria com a empresa

O Diretor, Drº Sebastião Gândara, explica que os cursos tecnólogos formam profissionais de nível superior aptos ao trabalho na área especializada e dita como são feitas as escolhas para indicações em estágios e vagas de emprego:

“É feito um trabalho separado. De acordo com a necessidade da empresa, nós fazemos as escolhas, junto aos professores, de alunos recém formados ou de quem já está quase se formando. Conversamos sobre os melhores nomes disponíveis dentre os selecionados e contatamos a empresa para que realizem o processo de entrevista”, elucida o diretor da Fatec.

A Fatec de Bauru, hoje, dispõe de seis cursos tecnólogos, como: Automação Industrial, Redes de Computadores, Sistemas Biomédicos, Banco de Dados, Gestão Hospitalar e Gestão Empresarial.

O Diretor revelou ainda o projeto de desenvolvimento do laboratório tecnológico para trabalho de pesquisa aplicada, onde alunos e professores trabalham juntos em prol da elaboração e otimização do que for de necessidade da empresa solicitante.

“Por exemplo, se hoje a empresa tem uma demanda de produto, é possível haver uma conversa com o professor que estará envolvido no projeto de desenvolvimento deste produto e ele envolverá alunos da Fatec neste processo, o que é muito interessante pois dessa maneira o aluno já estará desenvolvendo o estágio e isso é muito importante para nós”, explica o Dr. Sebastião.

A FATEC

Com pioneirismo há 52 anos, as instituições públicas brasileiras de ensino superior pertencentes ao Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS) formam tecnólogos com cursos amplamente reconhecidos pelo mercado de trabalho. A faculdade paulista promove a educação tecnológica de alunos, formando-os profissionais capazes de contribuir de forma inovadora, atendendo às exigências da sociedade.

Para ter acesso aos cursos tecnólogos oferecidos pela Faculdade de Tecnologia de Bauru, o estudante deve realizar o vestibular na data estipulada pela instituição. A Fatec está localizada na Rua Manoel Bento Cruz, nº 3-30, Centro.

Atualmente, o setor industrial está incorporado em grande parte da sociedade, e é impossível imaginar como seria a vida sem este setor.

É importante ressaltar que podemos contar com um grande advento tecnológico: a Indústria 4.0. Assim, tecnologias como impressão 3D, big data, processamento em nuvem e inteligência artificial, são ferramentas que podem ser aplicadas para lidar com qualquer situação.

A 4ª Revolução Industrial diz respeito às máquinas que operam de maneira inteligente. Através da fusão entre o mundo físico e digital, as transformações tecnológicas estão forçando diversas organizações a repensarem seus processos.

Em comemoração ao Dia Nacional da Indústria, separamos algumas informações acerca do setor e a sua relação com a Indústria 4.0 ao transformar processos, aumentando a produtividade e capacidade produtiva.

História da Indústria no Brasil

A história da indústria brasileira é recente comparada à de outros países. Isso porque a maior parte das instalações industriais estão ligadas à manutenção, consolidação e integração dos setores.

Afinal, apenas nos anos 1990, o Brasil, ao notar o contexto industrial ao redor do mundo, decidiu adotar uma política de competitividade. E esse fator permitiu com que a economia brasileira aumentasse de maneira considerável.

Dessa forma, o dia 25 de maio é uma data importante, pois as homenagens são destinadas às indústrias, um setor conhecido por abranger os mais variados tipos de mercados.

Portanto, o Dia Nacional da Indústria foi escolhido em homenagem ao patrono da indústria nacional, Roberto Simonsen, que faleceu na data em 1948.

Simonsen foi engenheiro industrial, administrador, professor, historiador e político, além de membro da Academia Brasileira de Letras (ABL).

Impacto da pandemia na Indústria

A crise exigiu mudanças rápidas para suportar o novo cenário sem uma reestruturação profunda. E como o avanço da tecnologia é inevitável, devemos sempre estar em constante aprendizado.

Por isso, vários empreendimentos precisaram se adaptar a essa realidade, em que as tecnologias da Indústria 4.0 são parte fundamental para caracterizar tudo o que há de moderno para produção dos bens de consumo, como automação, inteligência artificial e internet das coisas.

Assim, agilidade, escalabilidade e automação são algumas das palavras-chave da nova era de negócios.

Dessa forma, enquanto empresas lutavam para continuarem funcionando, seja por conta da falta de funcionários ou insumos, outras reestruturaram seus processos para acompanhar o aumento na demanda, como no caso de suprimentos médicos.

Portanto, devemos reavaliar e repensar nossos modos de consumo, fornecimento, interação e produtividade.

A modernização da Indústria Brasileira

O movimento de modernização está iniciando no Brasil. As empresas continuam associadas aos tradicionais modelos de produção, pouco sofisticados e dependentes de processos manuais.

Apesar disso, a pesquisa da Fiesp indica que o conhecimento das empresas de foco industrial sobre a indústria 4.0 está em crescente. Muitos gestores veem o conceito como uma oportunidade, e não risco.

Ou seja, a tendência é que a indústria 4.0 se inclua gradualmente nas empresas, conforme o preparo para investir e necessidade de inovar de cada um.

Segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a aderência à indústria 4.0 poderá acontecer de forma gradual, assim, estima-se que, em até 10 anos, 15% das empresas já tenham o conceito inserido em suas atividades.

Leia mais: A relação da automação com o aumento da margem de lucro

O que é Indústria 4.0?

A Indústria 4.0 é um conceito que leva inovação tecnológica para a produção.

Esse movimento permite controle da informação e automatização dos processos, que facilita o trabalho e acelera o ritmo produtivo.

Mas, apesar da ciência proporcionar benefícios, a internet e automação dos processos são o centro da nova indústria.

As máquinas estão mais informatizadas, permitindo um desempenho autônomo e com pouca influência humana.

Automação e Produtividade

Melhorar a produtividade é uma das grandes metas da indústria, independentemente da sua vertical e as cadeias de suprimentos precisam se reconfigurar em tempo real.

Assim, a combinação de recursos ideais definirá o sucesso das empresas, permitindo que a produção seja dimensionada conforme a demanda, através de análises que avaliem a necessidade de determinado produto e a disponibilidade de matéria-prima para sua fabricação.

Por isso, a Indústria 4.0 busca cada vez mais a manutenção baseada em plataformas inteligentes e integradas, analisando as informações sobre desempenho e confiabilidade enviadas por sensores para reduzir falhas ou paradas inesperadas.

Pensando nisso, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou uma pesquisa que comprova: empresas com tecnologias da indústria 4.0 estão mais preparadas.

Esse estudo utilizou dados de empresas que já adotaram tecnologias da Indústria 4.0 com aquelas que ainda relutam em adotar. Confira:

  • 54% das indústrias com tecnologias da Indústria 4.0 registraram um lucro igual ou superior antes da pandemia. O índice cai para 47% para quem não se adequou;
  • 30% das indústrias que adotaram tecnologias 4.0 aumentaram o quadro de funcionários, contra 22% das que não adotaram;
  • A lucratividade é maior em 29% das empresas indústrias que adotaram tecnologias da Indústria 4,0, caindo para 25% para aquelas que não adotaram nenhum recurso;
  • Entre aquelas que utilizam sistemas de conexão máquina-máquina e sensores, os percentuais são de 32% e 30%.
  • Por fim, a pesquisa revelou que as tecnologias da Indústria 4.0 que mais impactam positivamente na lucratividade das empresas são os sistemas de conexão máquina-máquina, sensores, big data e inteligência artificial.

Benefícios da Indústria 4.0

Os benefícios adquiridos com a implantação da Indústria 4.0 são diversos.

Afinal, o uso das tecnologias na indústria permitiu aumentar, em 22%, a capacidade produtiva de empresas dos variados segmentos.

Entretanto, muitos empreendedores acreditam que requer altos investimentos, em que somente grandes empresas possuem acesso ao modo de produção.

Por isso, antes de investir na modernização dos processos, é preciso um planejamento adequado com a realidade da sua empresa.

Dessa forma, poderá acarretar a redução dos custos, de forma gradual,  sem interferir no orçamento.

Leia mais: Você sabe o que é Indústria 4.0? 

Como se preparar para a nova Indústria?

A Indústria 4.0 está relacionada às inovações tecnológicas, tendências e maneiras de se integrarem.

Se você deseja preparar sua empresa para o futuro da Indústria 4.0, acompanhe nossas dicas:

  1. Avalie as necessidades da sua empresa

Você precisa fabricar mais produtos em menos tempo? Na era da Indústria 4.0, identificar áreas de melhoria é o primeiro passo para obter mais benefícios da revolução.

  1. Identifique o papel da automação

Se você faz parte de uma pequena empresa, provavelmente pensa que a Indústria 4.0 não atende às suas necessidades. Mas antes de rejeitar o conceito, considere os benefícios:

  • Computação e processos controlados;
  • Informações em tempo real sobre os estágios do desenvolvimento de produtos;
  • Otimização da operação.
  1. Eduque sua força de trabalho

Em todas as fases no processo de mudança, tenha certeza de que seus funcionários sejam instruídos das novas operações. Isso irá garantir uma transição suave, com menos estresse, reduzindo os erros.

Leia mais: Como a automação aumenta a produtividade da sua empresa?

E se você quer empreender com os equipamentos corretos e contar com uma assistência completa para qualquer lugar do país, saiba que a Cetro oferece soluções completas para automatizar sua produção de maneira prática e rápida.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.