Portais oferecem qualificações sem custo, e com certificados, para melhorar seus conhecimentos sobre empreendedorismo 

Quando se pensa em empreendedorismo e em abrir um novo negócio, muitos detalhes devem ser considerados, incluindo qual será o ramo do negócio, o produto que será oferecido, os custos para começar, o meio de divulgação, etc.

Entretanto, existe algo que muitas pessoas esquecem antes de começar a empreender: a qualificação correta, que muitas vezes evita erros iniciais e a longo prazo, ajudando a garantir não só a saúde financeira, mas também o sucesso da empresa. 

Assim sendo, separamos neste artigo alguns sites que oferecem gratuitamente cursos voltados ao empreendedorismo, e alguns deles possuem certificado de conclusão! Confira abaixo e boa leitura! 

Porque fazer um curso on-line? 

Até alguns anos atrás, muitas pessoas desconfiavam se cursos em formato EAD (sigla para Ensino à Distância) eram realmente confiáveis.

Isso porque, quando são pagos, possuem preço menor quando comparados com a modalidade presencial. 

Contudo, com a pandemia da Covid-19 e a necessidade do isolamento social, o ensino à distância mostrou ser uma forma essencial de transmitir aprendizado de um jeito eficiente e rápido.  

As principais vantagens do EAD que podemos enumerar aqui são: 

  • Horários mais flexíveis, podendo fazer as aulas a qualquer dia e no tempo mais conveniente; 
  • Rapidez na inscrição; 
  • Custo menor, pois não é necessária infraestrutura física para que as aulas aconteçam; 
  • Comodidade, já que o curso pode ser feito de qualquer dispositivo com acesso à internet, inclusive celular; 
  • Plataforma para resolução de dúvidas; 
  • Diploma reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), sendo equivalente a certificação da versão presencial; 

Já que explicamos como funciona um curso à distância, confira algumas instituições que oferecem qualificações on-line gratuitas! 

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) 

Fundada em 1972, é a principal entidade privada brasileira responsável por desenvolver micro e pequenas empresas, através de:

  • Parcerias com o setor público e privado;
  • Feiras de negócios;
  • Acesso à inovação e outras ações. 

Reforçando seu propósito, o Sebrae possui uma plataforma com cursos on-line divididos em segmentos como finanças, planejamento, empreendedorismo, etc.

Alguns destes cursos podem ser feitos diretamente pelos aplicativos WhatsApp e Telegram, sendo uma opção para quem não possui computador. 

Todas as formações contam com certificado digital, que pode ser emitido logo após a conclusão ou em até uma hora, no caso de cursos por Telegram ou WhatsApp. 

Confira as opções disponíveis no site do Sebrae clicando neste link. 

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai)

Quando o assunto é apoiar a indústria brasileira, a instituição mais lembrada é o Senai.

Ela possui o maior complexo educacional profissional de toda a América Latina, que está entre os cinco maiores do mundo. 

No caso da qualificação on-line, ela está disponível no portal “Mundo Senai”, que disponibiliza formações gratuitas na seção “Iniciação profissional”, sendo elas “Empreendedorismo”, “Finanças pessoais”, “Tecnologia da Informação e Comunicação” e outras opções. 

O Senai também garante certificado de conclusão, enviado por e-mail em até 10 dias, após realizar uma avaliação final. 

Clique aqui e saiba mais sobre o que é oferecido pelo Senai. 

Udemy 

Esta é uma das maiores plataformas de educação on-line, com 183 mil cursos e 44 milhões de alunos.

As qualificações voltadas para quem quer empreender são gratuitas e todas em português, porém não contam com certificado no final.  

Faça sua inscrição em um dos cursos gratuitos clicando aqui. 

Endeavor

Construir uma cultura empreendedora no Brasil, apoiando e multiplicando o poder de transformação de empreendedores que são grandes exemplos para o país.  

Essa é a missão da Endeavor, organização sem fins lucrativos que atua em território nacional há mais de 20 anos e que já apoiou e acelerou mais de 2.000 empresas por meio de sua rede de empreendedores. 

Sendo assim, a Endeavor disponibiliza 18 cursos on-line para que empreendedores de todo o país não apenas tenham uma excelente capacitação, mas errem menos na gestão de suas empresas. 

As opções de cursos incluem “Como aumentar e gerenciar suas vendas”, “Finanças Básicas para Empreendedores”, “Perfil empreendedor: como identificar oportunidades com a sua cara”, etc. Todos eles trazem conteúdos práticos e exemplos de empresas reais, como Spoleto, Acesso, Natura e outras.  

Contudo, por serem voltadas para conhecimento pessoal, as qualificações desta instituição não possuem certificado de conclusão. 

Clique aqui para acessar os cursos oferecidos pela Endeavor. 

Programa Avançar + (Santander)

Criado pela filial brasileira do Santander, o maior banco da Espanha, o Programa Avançar + foi criado no ano de 2015 e já ajudou o empreendedor por meio da facilitação de parcerias, contratação de estagiários e outras iniciativas. 

A plataforma deste programa conta com qualificações gratuitas (com certificado) e outros conteúdos relevantes, como livros virtuais (e-books), podcasts, vídeos e eventos como workshops. 

Confira os materiais do Programa Avançar + clicando neste link.

Qualifique sua produção com a Cetro e aumente sua lucratividade! 

Como pudemos ver aqui, fazer um curso voltado para o seu negócio, seja ele qual for, traz benefícios para a gestão do mesmo, impactos positivos e menor chance de errar em área específicas. Só que além dos cursos, existe mais uma forma de trazer qualificação para sua empresa e destacá-la no mercado. 

Para isto, conte com as soluções da Cetro para inovar e maximizar sua produção! Nossa ampla linha de produtos atende negócios de todos os tamanhos, desde aqueles que estão começando a empreender até grandes indústrias. 

Acesse este link e veja as opções que a Cetro tem para transformar sua produção! 

E não esqueça de acompanhar o blog da Cetro! Aqui você sempre encontra conteúdos, dicas e tutoriais para seu negócio ir mais longe! 

Fique por dentro das principais opções de linha de crédito voltadas para a ampliação do seu negócio

No fim do mês de maio de 2022, o governo federal lançou uma iniciativa que tem como objetivo apoiar os pequenos negócios: o programa Crédito Brasil Empreendedor, criado para microempreendedores terem acesso simplificado a uma linha de crédito.

Na mesma ocasião, foram anunciadas mudanças nas regras do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que prorrogou o prazo de empréstimos para até o final de 2024. Estas novas medidas podem liberar mais de R$ 50 bilhões em empréstimos que serão utilizados por micro e pequenas empresas (MPE).

Para ajudar você a tomar a melhor decisão com relação a que tipo de empréstimo contratar para expandir sua empresa, seja na compra de maquinário, reformas, reforçar seu estoque, ou mesmo para fechar as contas do mês, separamos aqui quais são as formas de obter o crédito que seu negócio precisa! Antes, temos duas dicas essenciais que você deve ter em mente na hora de fazer seu pedido de empréstimo.

1ª dica – Vou conseguir quitar o empréstimo? 

Assim como acontece em um empréstimo pessoal, você assume o compromisso de pagar o crédito para sua empresa com pontualidade, correndo o risco de ficar inadimplente caso aconteça algum atraso por um certo período. Sendo assim, antes de fazer a contratação, simule os valores e veja se o novo empréstimo consegue se encaixar no orçamento do seu negócio. Assim você evita complicações no futuro.

2ª dica – Qual a finalidade do crédito que será obtido? 

Ter um capital de giro ou garantir o pagamento do 13º salário? Adquirir novos equipamentos ou uma ajuda para o fluxo de caixa? Seja qual for a situação que sua micro ou pequena empresa esteja passando, é importante saber qual será o destino do empréstimo. Isso porque existem linhas voltadas para tipos específicos de crédito: algumas são voltadas exclusivamente para investimentos, como capital de giro, compra de equipamentos e materiais; outras não possuem restrições, podendo ser utilizadas para os casos que já citamos e outras situações, incluindo pagamento de contas, por exemplo.

Outro ponto que deve ser levado em consideração quando se pensa em adquirir um empréstimo para micro ou pequena empresa (MPE) está na quantidade de encargos inclusos no processo, como o índice de correção das parcelas, juros, taxas que fazem parte do Custo Efetivo Total (CET) e se é obrigatório apresentar uma garantia, como um imóvel ou veículo. Verifique também qual o valor mínimo e máximo do crédito, o prazo de parcelamento e o tempo de carência para começar o pagamento das parcelas.

Agora que passamos esta dica fundamental para você, veja abaixo as linhas de crédito disponíveis para atender as necessidades do seu negócio!

Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte)

Como o nome diz, este é o tipo de empréstimo criado pelo governo federal que mencionamos no começo deste artigo. Ele atende microempreendedores individuais (MEI), microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP), e foi criado em maio de 2020 para ajudar estes tipos de empresas, que foram muito afetadas pela pandemia da Covid-19. Inclusive, apenas em 2020 foram concedidos mais de R$ 37,5 bilhões em empréstimos para 517 mil empreendedores.

Tendo se tornado permanente em junho de 2021, o Pronampe oferece crédito com juros menores e prazos maiores para pagamento, e conta com a garantia do Fundo de Garantia de Operações (FGO). Além disto, o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) sobre o programa está zerado até o fim de 2023.

Regras do Pronampe:

  • O valor do empréstimo é limitado a 30% da receita bruta anual que foi registrada em 2019;
  • No caso de empresas com menos de um ano de funcionamento, o limite do valor do financiamento é determinado de duas formas: 30% da média do faturamento mensal ou metade do capital social;
  • Até 85% dos recursos são garantidos pela União. O empréstimo pode ser concedido por instituições financeiras, tanto públicas quanto privadas, com autorização de funcionamento pelo Banco Central. Alguns exemplos são:
    • Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Banco da Amazônia e Banco do Nordeste (Instituições Financeiras Oficiais, ligadas ao governo federal);
    • Bancos privados (Itaú, Bradesco, entre outros);
    • Cooperativas de crédito, como o Sicredi, Unicred e Sicoob, e bancos cooperativos, como por exemplo o Bancoob;
    • Agências de fomento e bancos estaduais;
    • Fintechs (serviços financeiros realizados por meio de sistemas tecnológicos);
    • Organizações Da Sociedade Civil De Interesse Público (OSCIP);
    • Instituições que fazem parte do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB);
    • Outras instituições financeiras privadas e públicas autorizadas a funcionar pelo Banco Central.
  • Ao realizar o empréstimo, é necessário que o número de funcionários seja mantido por até 60 dias após a concessão do crédito.

Como funciona o pagamento

O empréstimo pode ser dividido em até 48 parcelas, sendo que a taxa de juros máxima por ano é a mesma que a taxa Selic, mais um adicional de 6%. Já o prazo para iniciar a quitação do crédito é de 11 meses.

Destinação do crédito

O dinheiro obtido pode ser usado tanto para as despesas do seu negócio, como a compra de materiais e mercadorias e pagamento de contas e salários, quanto para investimentos, incluindo reformas e a aquisição de equipamentos. É proibido utilizar o crédito do Pronampe para distribuir lucros e dividendos entre sócios da empresa.

Para saber se o seu banco faz parte do programa, recomendamos que você vá até a agência e fale com seu gerente ou entre em contato com a central de atendimento do seu banco.

Programa de Simplificação do Microcrédito Digital para Empreendedores (SIM Digital) Caixa Tem

Lançado no final de março de 2022 dentro do programa Renda e Oportunidade, esta é uma forma de obter crédito rápido com valores menores (microcrédito) e diretamente pelo celular, sem precisar se deslocar até uma agência bancária.

Pode ser utilizada tanto por microempreendedores individuais (MEI) quanto por empreendedores que são pessoas físicas, incluindo aqueles com CPF negativado e beneficiários do programa Auxílio Brasil, substituto do Bolsa Família.

Vale mencionar aqui que a contratação do empréstimo via celular, através do aplicativo Caixa Tem, só pode ser feita por pessoas físicas que querem empreender, seja como autônomo ou mesmo informal, já que haverá um questionamento sobre a finalidade do crédito. Quem já é MEI deve ir até uma agência da Caixa para solicitar o empréstimo.

Os limites de valores que podem ser solicitados são diferentes para cada modalidade. Confira abaixo:

  • Pessoas físicas: de R$ 300 até R$ 1 mil, com taxa de juros que varia de 1,95% até 3,60% mensais, com parcelamento de 12 a 24 meses. Importante – Quando o interessado está com restrições no nome, não pode haver, até 31 de janeiro de 2022, dívidas e/ou empréstimos com valores maiores que R$ 3 mil (nesta quantia não entram limites de créditos bancários que não foram usados, incluindo cartão e cheque, e financiamentos de imóveis).
  • Microempreendedores individuais (MEI): o valor que pode ser emprestado começa em R$ 1 mil e termina em R$ 3 mil, tendo uma taxa de juros de 1,99% até 3,60% por mês, com parcelamento inicial um pouco maior, de 18 meses, e indo até 24 meses.

Saiba agora quais são os documentos necessários e como fazer para pedir seu empréstimo SIM Digital Caixa Tem:

Documentos necessários para solicitação

Pessoas físicas Neste caso, a conta aberta no aplicativo Caixa Tem deve ser obrigatoriamente a Poupança Digital+. Se a sua conta não for essa, você deve atualizar seu cadastro para converter a Poupança Social Digital em uma Poupança Digital+. Para isto, siga estes passos:

  1. Verifique se o aplicativo Caixa Tem está instalado em seu celular e se está na versão 1.57.1 ou mais atual. Você pode atualiza-lo ou baixa-lo para Android clicando aqui ou para iOS neste link.
  2. Entre no aplicativo com seu CPF e senha numérica cadastrados.
  3. Clique na opção “Atualize seu cadastro” e siga as orientações que aparecerem na tela.
  4. Clique em “SIM Digital – Crédito Caixa TEM” e logo após escolha “Contratar Crédito Caixa TEM”.
  5. Nesta etapa você deverá responder um questionário de cinco perguntas.
  6. Com o questionário respondido, escolha de quanto será o valor do empréstimo.
  7. Selecione a data em que você deseja pagar as parcelas.
  8. Escolha em quantas parcelas você quer dividir o pagamento do crédito.
  9. Por fim, digite sua senha Caixa Tem e pronto! Será feita uma análise pela Caixa de até 10 dias. Após esse período, se houver aprovação, o empréstimo será creditado em sua conta no Caixa Tem.

Microempreendedores individuais (MEI) – Quem já trabalha como MEI há pelo menos um ano (12 meses) pode solicitar o SIM Digital, mas apenas indo presencialmente até a agência da Caixa no qual você possui conta jurídica (se não tiver conta, ela deve ser aberta primeiro). Até o fechamento deste artigo, não é possível que MEIs possam pedir este empréstimo pelo aplicativo. Leve os seguintes documentos, que são os mesmos para quem tem conta ou não:

  • Documentos pessoais: CPF, comprovante de residência e RG;
  • Declaração Anual do Simples Nacional (DASN SIMEI) do último exercício fiscal que foi encerrado acompanhado do Recibo de Entrega (documento que certifica que a Declaração Anual foi feita até 31 de maio). Você pode consultar a declaração clicando aqui.
  • Certificado da Condição do Microempreendedor Individual (CCMEI): documento que comprova a abertura de seu negócio e a inscrição do seu CNPJ e na Junta Comercial de seu estado. Você pode emitir o comprovante gratuitamente por meio deste link.

Lembrando que todas as operações do SIM Digital são executadas através do Fundo Garantidor de Microfinanças (FGM) da Caixa, que recebeu um subsídio de R$ 3 bilhões do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Bancos estaduais e agências de fomento

Alguns estados possuem suas próprias modalidades de empréstimos para micro e pequenas empresas, fornecidas por meio de bancos e agências de estímulo. As taxas de juros são menores e existem mais opções de crédito para escolha. Dentre as instituições que destacamos aqui estão:

  • Banco do Povo (Governo do Estado de São Paulo): este banco estadual tem como destaque o programa Empreenda Rápido (antigo Super MEI), feito em parceria com o Sebrae e que oferece até R$ 21 mil de empréstimo para MEIs, microempresas (MEs) e empresas de pequeno porte (EPP), com taxa de juros que varia entre 0,35 a 0,55% ao mês + 1% de TSF (Tarifa de Sustentabilidade do Fundo, descontada na liberação) + FDA (Fundo de Aval, que é diluído nas parcelas). Para obter o crédito é obrigatório concluir um dos cursos técnicos gratuitos disponibilizados pelo programa, e todos contam com certificado de conclusão.
  • Desenvolve SP (Governo do Estado de São Paulo): Também chamado de Banco do Empreendedor, é focado no desenvolvimento econômico sustentável do estado de São Paulo. Atende MEIs, microempresas, setores como agronegócios e industrial e prefeituras, sempre com juros mais baixos e prazos para pagamento de até 10 anos. As opções de crédito disponíveis incluem capital de giro (despesas operacionais, manutenção de estoque e compra de matéria-prima), projetos de inovação, sustentabilidade ou investimento, empréstimo para compra de equipamentos e máquinas, entre outros. O site desta instituição conta com simulador próprio, garantindo um processo 100% on-line.

Agência Estadual de Fomento do Rio de Janeiro (AgeRio): Tem como pilares as boas práticas de governança e responsabilidade socioambiental. A linha de empréstimo voltada para microempreendedores individuais, chamada Microcrédito AgeRio, oferta valores que vão até R$ 21 mil, e possui taxa de juros de 0,25% mensais, com prazo de até 24 meses e carência de no máximo 12 meses. Pode ser usada para reformas, capital de giro, aquisição de máquinas, etc. Já o crédito para microempresas tem valor máximo de R$ 300 mil e taxa de juros de até 0,87% ao mês, com até 60 meses para pagar e carência de até 18 meses. Assim sendo, o empréstimo pode ser investido em aquisições e capital, treinamentos, certificações e consultorias. A contratação também é realizada totalmente pela internet.

Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG): Atua com base no desenvolvimento, inovação e sustentabilidade do estado de Minas Gerais. Esta instituição trabalha com empresas de todos os setores e tamanhos, prefeituras e concessionárias municipais, além de estruturar Parcerias Público-Privadas (PPPs) para o governo mineiro. Conta com uma vasta linha de empréstimos, com taxas a partir de 1,24% mensais, análise de crédito agilizada e até 36 meses para pagar. Permite simulação gratuita no site ou o interessado pode ir presencialmente até um dos vários correspondentes bancários espalhados pelo estado. Outro destaque do BDMG é o Programa Crédito Assistido, desenvolvido em conjunto com o Sebrae. Ele é composto por treinamentos virtuais sem custo que têm como objetivo capacitar o empreendedor para melhorar a gestão financeira do seu negócio.

Bancos privados (Bradesco, Santander, etc)

De forma geral, bancos do setor privado também oferecem empréstimo para microempreendedores individuais, microempresas e pequenas empresas. Aqui podemos incluir instituições como o Bradesco, Itaú, Santander, dentre outras. Em alguns casos, os prazos para iniciar o pagamento das parcelas do crédito podem ser menores. E as taxas de juros podem ser maiores quando comparamos com o que é oferecido pelo governo federal ou estadual. Portanto, faça uma pesquisa detalhada, compare e simule qual a melhor opção de empréstimo para sua empresa!

Acelere sua produção: invista nas máquinas da Cetro!

Agora que você conhece as melhores formas de conseguir empréstimo para seu negócio, que tal investir seu crédito em um equipamento confiável, robusto e com qualidade comprovada? Para isto, conheça as soluções da Cetro Máquinas!

Não importa o setor que você atua ou o tamanho da sua empresa, com certeza tem uma máquina da Cetro que vai atender perfeitamente sua empresa! Para acessar nosso site e conferir nossa linha completa é só clicar aqui. Continue acompanhando o blog da Cetro para ficar por dentro de todos os nossos conteúdos. Eles são feitos para ajudar você e seu negócio a evoluir sempre!


Entenda como este conceito, criado no universo das startups, pode ajudar a trazer mais resultados para sua empresa; confira dicas para aplicar o MVP de forma assertiva

Você provavelmente deve conhecer alguém que investiu muito dinheiro em um novo negócio ou produto, mas que por certos motivos acabou tendo prejuízo e, consequentemente, não conseguiu levar sua ideia para a frente. Por outro lado, existe uma técnica que, caso fosse aplicada, faria com que esse produto ou empresa pudesse ser mais aceito no mercado, estamos falando do MVP.

Esta sigla que vem do inglês e significa “Minimum Viable Product”, mas que traduzida para o português significa “Produto Minimamente Viável”. Neste artigo você irá conhecer a origem deste método, exemplos e como ele pode ser aplicado em sua empresa, auxiliando na economia de recursos e sendo um diferencial para alcançar o sucesso que seu negócio merece!

Como e quando o MVP surgiu

A Startup Enxuta, por Eric Ries – Edição 2019

A primeira vez que este termo foi introduzido aconteceu no ano de 2001 pelo cofundador e presidente da empresa de consultoria em gestão SyncDev Frank Robinson. Segundo ele, o MVP é o resultado do “desenvolvimento síncrono”, composto pela execução em paralelo do desenvolvimento de produto e desenvolvimento do cliente.

Contudo, este conceito só foi popularizado dez anos depois, em 2011, no livro “The Lean Startup” (A Startup Enxuta), escrito pelo empreendedor norte-americano Eric Ries, o qual definiu o MVP da seguinte forma:

“O produto minimamente viável é a versão de um novo produto que permite que uma equipe colete o máximo de aprendizado validado sobre os clientes com mínimo esforço.”

Eric Ries

Apesar de ter sido criado no meio das startups, o MVP pode ser usado por empresas de qualquer setor, inclusive por empreendedores que estão começando a progredir com sua empresa.

O que exatamente um MVP pode fazer para sua empresa

Vale destacar aqui que o MVP vai muito além de um protótipo, que apenas mostra o conceito e função que um determinado item pode desempenhar. Com um MVP, clientes podem testar e usar seu produto ainda no estágio inicial, dando feedbacks (retornos) sobre ele e indicando o que está funcionando e os itens e detalhes que podem ser melhorados antes da versão final e, mais bem definida, chegar ao mercado.

O principal ponto abordado pelo MVP é justamente aquela conhecida frase que diz que “tempo é dinheiro”. Ou seja, evitar que um alto investimento acabe sendo desperdiçado, caso não haja aceitação do público ou a demanda não seja atendida, e que o tempo utilizado para desenvolver o produto não seja totalmente perdido, trazendo prejuízo para todos.

Outra vantagem em usar o MVP é a facilidade de mudança na trajetória do produto, permitindo alterações durante o desenvolvimento do mesmo com base na opinião dos consumidores. Assim, complicações que podem surgir futuramente podem ser resolvidas bem antes do lançamento do produto final.

Com a origem do MVP explicada e sabendo como ele pode ajudar seu negócio, confira abaixo alguns exemplos de como esse método foi aplicado e garantiu sucesso em diversas áreas:

Exemplos de utilização do MVP

Uber (aplicativo de transportes)

Até se tornar uma das maiores empresas de mobilidade urbana do mundo, a Uber trilhou um longo caminho, fazendo vários testes para aprimorar seu serviço e adicionar novas funcionalidades.

Uma das maiores empresas de transporte terrestre do mundo, a Uber utilizou a estratégia MVP

A história da Uber começou em 2009, quando o programador Garret Camp gastou mais de 800 dólares junto com seus amigos para contratar um motorista particular. Desde então, ele começou a procurar uma forma de reduzir o preço do transporte direto particular, e chegou à conclusão de que o ideal era compartilhar o custo com os clientes.

A empresa foi lançada em fase de testes (beta) no ano de 2010 nos Estados Unidos, com o nome de UberCab, e só funcionava por meio de um aplicativo para iPhone, por mensagens SMS nos demais celulares ou ainda por seu próprio site, inicialmente atendendo a cidade de São Francisco, no estado da Califórnia, e disponibilizando apenas carros de luxo.

O MVP da Uber foi o suficiente para constatar que havia uma demanda por transporte particular acessível. O aprendizado obtido juntamente com a opinião dos usuários fez com que a empresa iniciasse sua expansão apenas um ano depois, em 2011, operando nas cidades de Nova York e Chicago.

Nova estratégia da Uber é a utilização de viagens com moto

A popular categoria UberX, com corridas mais baratas e no qual os motoristas usam seus veículos particulares, incluindo modelos de entrada, surgiu em 2012, ampliando o alcance do aplicativo para mais pessoas. Após toda essa trajetória, a Uber se consolidou no mercado onde atua, acrescentando novas funções como entregas de supermercados, bebidas, pet shops e outros (Uber Eats), encomendas (Uber Flash), pagamento por sistema pré-pago (Cash), recompensas por pontuação (Rewards), serviço de mototáxi (Uber Moto), etc. Mesmo com tudo isto, ela continua usando MVPs para melhorar seus serviços constantemente.

Até o fechamento deste artigo, um exemplo é a modalidade “Viagem para convidados”, ainda em testes e disponível só para algumas cidades brasileiras. Com ela, um usuário pode pedir uma corrida para outra pessoa informando nome completo e o número de telefone dela. Esta é uma função útil para quem eventualmente fica sem internet ou não está familiarizada com a plataforma.

Pix (criado pelo Banco Central em 2020)

Um exemplo prático de MVP encontrado em nosso mercado é o Pix, meio de pagamento instantâneo e isento de tarifas que você com certeza já ouviu falar ou oferece para seus clientes. Antes de ser lançado, o Pix passou por uma fase de testes, com funcionamento limitado, de 02 a 15 de novembro de 2020.

O sistema PIX revolucionou em pouco tempo as transações bancárias

Durante esse período, apenas 5% dos clientes dos bancos cadastrados podiam fazer transferências entre contas, mas em horários determinados pelo Banco Central. Até o dia 12 de novembro de 2020, foram feitas 826 mil operações.

O resultado obtido desde o lançamento do Pix, em 16 de novembro de 2020, não poderia ser diferente: em março de 2022 foram registradas mais de 1,6 bilhão de transações, sendo que esse número aborda desde transferências entre pessoas até pagamentos de produtos.

Atualmente, o Pix pode ser usado também para pagamentos de contas, como internet, energia elétrica, faturas de cartão de crédito, tributos federais, entre outros; saque em caixas eletrônicos de praticamente qualquer banco e até mesmo fazer compras parceladas (esta modalidade não é regulamentada pelo Banco Central, sendo adotada por bancos como o Santander e fintechs como o Mercado Pago e o PicPay).

Futuramente será possível realizar débito automático com esta ferramenta e converter o valor recebido via Pix em reais para a criptomoeda bitcoin, como a empresa argentina Lemon Cash quer fazer quando iniciar sua operação no Brasil.

Saiba agora como você pode usar a técnica do MVP a favor do seu negócio para reduzir custos e melhorar seu desenvolvimento!

Monte uma equipe

Antes de definir sua estratégia de MVP, é fundamental ter uma equipe formada e principalmente plural, com pontos de vista e visões diferentes entre si. Mesmo que você ainda não tenha funcionários, junte três pessoas, cada uma com as seguintes características:

  • Visão e conhecimento de mercado, para verificar se é possível executar o MVP do ponto de vista financeiro;
  • Alguém que pense nas formas de utilização do produto, garantindo uma excelente experiência para o cliente;
  • Uma pessoa com perfil técnico, que possa afirmar que aquele produto pode ser feito em larga escala.

Defina como será o produto

Com a equipe definida, hora de acertar mais detalhes do seu produto: qual será o nome, público-alvo, vantagens e características. Nesta fase, o ideal é realizar um brainstorming: metodologia composta pelo compartilhamento espontâneo de ideias que tem como objetivo solucionar problemas com perspectivas inovadoras.

Dica: Para facilitar o planejamento, faça uma lista de itens que só pode ser respondida com sim ou não em relação ao que seu produto tem e/ou faz e distribua para o seu pessoal. Alguns exemplos: É um aplicativo? Vai ser vendido pela internet?

Estabeleça a persona do produto

Você sabe para quem seu produto será vendido? Se você ainda não tem a resposta para esta pergunta, comece a montar o quanto antes a persona, ou seja, um perfil fictício que representa qual o cliente que mais se encaixa com o que você oferece.

Para definir uma persona, leve em conta particularidades como: comportamento, estado civil, hobbies, idade, interesses, gostos, profissão e outros dados relevantes. Além disto, procure determinar também quais são as dores e problemas da sua persona, para que assim seu produto possa resolver as necessidades dela.

Dica: Se você tiver recursos suficientes, contrate uma agência e realize com ela um estudo para definir os clientes que você deseja alcançar. Caso contrário, entre em contato com potenciais clientes e faça uma pesquisa. Inclusive, estes mesmos clientes podem ajudar não apenas na construção da persona, mas também no teste do seu MVP.

Tire todos os excessos

Como estamos explicando neste artigo, um MVP deve ser o mais enxuto possível para que os testes aconteçam da melhor forma e você entregue uma experiência satisfatória ao cliente antes do produto final estar disponível. Portanto, só o essencial deve estar presente no MVP.

Para isso, reúna sua equipe e peça para que cada um enumere quais são os itens prioritários do produto. Depois, junte tudo o que foi dito e tire os excessos, deixando apenas o que é fundamental para que seu MVP tenha sucesso.

Lance seu MVP e comece os testes

Com os pontos essenciais e o público-alvo já definidos, chegou a hora de finalmente lançar seu MVP e ver como ele será aceito por seus clientes! Isto não quer dizer que terminou por aqui.

Agora que seu MVP já está disponível, determine quais serão as métricas ou os indicadores de desempenho (KPIs) utilizados para medir e monitorar o desempenho do seu produto.

Fique atento ao feedback do seu público

Após o lançamento do seu MVP, quando receber um retorno dos seus clientes, seja ele positivo ou negativo, use isto como um termômetro para saber se seu produto está no caminho certo ou precisa de correções. Lembre-se que esta etapa de teste é feita justamente para isso.

Planeje seu MVP com atenção e veja os resultados!

Conforme você viu aqui, a criação de um MVP é importante para saber qual será a aceitação do seu produto no mercado, além de auxiliar na construção de uma base de clientes que irá ajudar a melhorar seu negócio!

Se você gostou deste artigo, não deixe de acompanhar o blog da Cetro! Aqui você encontra vários conteúdos pensados para você e sua empresa evoluírem sempre!

Confira as ferramentas disponíveis para marcar a presença de sua empresa no meio digital; venda na web e se destaque na internet

Com os diversos avanços da tecnologia e com o inevitável ascensão da internet a ao longo dos anos, estar presente no mundo digital se tornou quase que obrigatório para que uma empresa tenha sucesso, não importa o segmento em que atua.

Hoje, tanto os clientes já fidelizados quanto aqueles em potencial possuem celular, rede social, aplicativo de mensagens, enfim; sempre estão conectados com amigos, familiares e com as empresas e marcas que são relevantes para seu dia a dia.

Portanto, ter espaço na internet é mais do que fundamental para que seu negócio seja reconhecido e até mesmo ser expandido. Conheça agora quais plataformas você pode usar para inserir sua empresa no ambiente on-line!

Mas antes, vamos falar sobre uma técnica que pode ser aplicada logo no início da sua jornada digital e que pode evitar gastos desnecessários.

Já ouviu falar em MVP?

Esta é a sigla para “Minimum Viable Product”, que traduzido para o português significa “Mínimo Produto Viável”, conceito que nasceu no mercado de startups, mas logo chegou as grandes corporações e aos empreendedores!

O objetivo principal desta técnica é determinar qual o menor gasto para que sua loja funcione e, além disso, ter o mínimo de funcionamento com a menor despesa para testar uma ideia ou um novo produto.

Agora que você sabe o que é o MVP, conheça em quais meios você pode colocar sua empresa na internet!

Redes sociais

O primeiro passo para começar a divulgar seu negócio na web é utilizando as redes sociais. Através delas é possível conversar diretamente com seu público de várias formas, com textos, imagens, vídeos e etc. O que vale é criar um conteúdo de qualidade que traga engajamento e interatividade para seus clientes e principalmente fazer com que mais pessoas cheguem até você!

Com tantas opções, pode ficar difícil escolher com quais redes trabalhar. Então, defina qual o seu público consumidor e crie suas páginas e/ou perfis onde seus clientes estão. Por exemplo: se o seu público for composto por jovens, o TikTok pode ser a escolha ideal para divulgar seus produtos, assim como o Instagram. E claro: sempre faça testes com a técnica de MVP para definir qual rede social é a mais adequada para seu negócio!

Quer saber como fidelizar seus novos clientes pelas redes sociais? Então clique aqui e confira nosso artigo que com certeza vai te ajudar!

Canais de comunicação on-line

Usar meios virtuais para ter contato direto com seus clientes é uma excelente forma de sua empresa estar no ambiente digital. O exemplo mais prático disto é o WhatsApp: quase todos que possuem um smartphone e acesso a internet tem este aplicativo instalado. Através de uma conta Business você pode não apenas vender, mas também tirar dúvidas, divulgar ofertas e novidades, disponibilizar catálogos, cardápios, informar sobre o horário de atendimento e etc.

O WhatsApp também permite um atendimento personalizado e humanizado para cada cliente, aumentando as chances de construir um relacionamento duradouro. Valem também os aplicativos de mensagens integrados ao Facebook e ao Instagram, sendo eles o Messenger e o Direct, respectivamente.

Perfil da Empresa no Google (antigo Google Meu Negócio)

Você já pesquisou no Google informações sobre uma determinada loja, como telefone, endereço e fotos e acabou não encontrando? Isto prova que é mais do que essencial colocar sua empresa dentro do maior provedor de buscas do mundo. E isto pode ser feito gratuitamente através do Perfil da Empresa, recurso que pode fazer com que novos clientes cheguem imediatamente ao seu negócio!

Dentro do Perfil da Empresa, que pode ser acessado pelo celular no aplicativo Google Maps e no computador diretamente pela página de busca, você pode adicionar endereço, telefone, site, horário de funcionamento, opções de serviço, uma breve descrição, fotos e atualizações, uma espécie de feed de postagens parecido com o Facebook. Dentro do Perfil podem ser feitas também perguntas vindas dos clientes e avaliações da sua empresa.

Você também tem acesso a uma página específica para conferir seu desempenho por meio de estatísticas de ligações recebidas, quais palavras-chave são usadas para encontrar seu negócio, interações, avaliações, reservas, entre outras.   

Em resumo: o Perfil da Empresa no Google trabalha como um pequeno site que pode ser colocado no ar com poucas configurações, tornando-se uma ferramenta importante para alcançar novas pessoas.

Vendas on-line através de e-commerce

Assim como fazem as grandes empresas, vender por meio de um site garante autoridade e amplia as possibilidades de aumentar o faturamento, inclusive podendo ofertar seus produtos para todo o Brasil! Aqui existem duas opções, portanto veja qual é a mais adequada para seu negócio, principalmente do ponto de vista financeiro:

Marketplace: a primeira possibilidade é colocar sua empresa dentro de uma plataforma agregadora, sendo que a grande maioria atua em diversos segmentos. Podemos citar como exemplos: Americanas, Amazon, Casas Bahia, Extra, Mercado Livre, Shoptime, etc.

A principal vantagem dos marketplaces é usufruir da estrutura das plataformas, o que inclui a logística e formas de pagamento (como cartão de crédito, Pix e crediário próprio em alguns casos), reduzindo despesas.

Site próprio: esta opção é mais adequada se você tiver uma reserva separada para investir em seu próprio e-commerce, uma vez que será necessário adquirir domínio e hospedagem, plataforma para montar o site e para efetuar pagamentos, sistema para atendimento on-line (por chat ou redirecionando para o WhatsApp), entre outros itens.

Caso seu capital seja menor, não há problema em fazer um site mais simples, funcionando como uma vitrine virtual e contendo informações básicas, incluindo a origem de sua empresa, localização e meios de contato. Assim, a venda deverá ser concluída fora do portal.

Blog

Além de ter o próprio site para auxiliar nas vendas na internet, outra maneira de divulgar sua empresa no meio digital é criando um blog e produzindo conteúdos de qualidade para manter seu público atualizado e alcançar futuros clientes. O blog também pode ajudar a direcionar visitas a sua loja virtual e vice-versa.

Lembre-se sempre de aperfeiçoar seus textos com base em SEO (Search Engine Optimization, que traduzido para o português significa “otimização de mecanismo de busca”) para que seu negócio apareça, de forma orgânica, entre os primeiros resultados do Google.

Neste caso, você deve ajustar alguns critérios para que tudo o que for elaborado chegue exatamente ao seu público-alvo, como:

  • Palavras-chave que sejam relevantes e façam sentido para seu negócio;
  • Blog responsivo, ou seja, que funcione de forma satisfatória tanto em celulares quanto em computadores;
  • Páginas com carregamento rápido, levando menos tempo para abrir;
  • Backlinks (links que levam para outros textos que estão tanto em seu blog como em seu site).

Tenha em mente que ao trabalhar com SEO os resultados não serão instantâneos, ou seja, leva tempo até seus textos estarem bem posicionados. Portanto, sempre acompanhe as métricas (estatísticas) do seu blog para saber se seus conteúdos estão tendo um bom desempenho.

Importante: Esteja em conformidade com a LGPD e outras normas

Em vigor desde setembro de 2020, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é um conjunto de normas criado para proteger os direitos de liberdade e privacidade e criar segurança jurídica quanto ao uso de dados pessoais no Brasil. Por isso, sua empresa deve estar adequada a estas leis e seguir algumas regras, incluindo:

  • Pedir a autorização do cliente para coletar informações dele, como e-mail e RG, por exemplo;
  • Alguns clientes podem solicitar que seus dados sejam ajustados ou até mesmo apagados;
  • Caso sua empresa reconheça que os dados dos clientes foram vazados, procure uma solução o quanto antes e notifique a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), responsável por fiscalizar e aplicar penas para quem descumprir a LGPD.

Fique atento também ao Marco Civil da Internet (responsável pela regulamentação de deveres, direitos e garantias no uso da internet) e ao Código de Defesa do Consumidor (documento que trata sobre as relações de consumo).

Continue nos acompanhando por aqui!

Quer ficar por dentro dos melhores conteúdos para ajudar no desenvolvimento de sua empresa? Então continue seguindo o blog da Cetro! Aqui você encontra dicas, tutoriais sobre nossos produtos e muito mais para seu negócio continuar crescendo!

Saiba como dar o primeiro passo para ter seu novo negócio e conheça os tipos de empresas disponíveis 

Com a pandemia da Covid-19, muitas pessoas optaram por empreender em diversas áreas para conseguir uma renda extra ou para ter um novo trabalho fixo, seja no setor de alimentos, serviços, etc. Isto motivou um aumento expressivo no número de CNPJs abertos no Brasil.

De acordo com o boletim do Mapa de Empresas do 1º Quadrimestre de 2022, divulgado pelo Ministério da Economia, exatas 1.350.127 empresas foram abertas nos primeiros quatro meses de 2022, um aumento de 11,5% em relação ao mesmo período de 2021. Destas, 99,4%, ou 1.114.826 são empresários individuais, incluindo o conhecido microempreendedor individual, o MEI. 

O tempo para abrir uma empresa também diminuiu consideravelmente, agora é necessário um dia e 16 horas, um dia e 13 horas a menos quando comparamos com os quatro primeiros meses de 2021, ou seja, o empreendedor leva 48,1% menos tempo para estar com o seu CNPJ na mão e começar a empreender. 

Por isso, confira neste artigo qual o tipo de empresa que mais atende o que você precisa e o que você deve fazer para abrir seu CNPJ! 

Tipos de Empresa 

Microempreendedor Individual (MEI) 

Categoria que mais cresceu nos dois últimos anos, o microempreendedor individual, mais conhecido pela sigla MEI, pode começar seu negócio pagando um baixo valor de contribuição mensal, tendo um limite de faturamento anual de R$ 81 mil.

Este tipo de empresa abrange uma série de ocupações, que incluem: proprietário de lanchonete ou restaurante independente, fabricante de alimentos como amendoim, balas, chá, laticínios, massas, confeiteiro, etc. Você pode conferir a lista completa clicando aqui. 

Além de contar com seu próprio Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, o CNPJ, o MEI tem direito a benefícios como aposentadoria, auxílio-doença, auxílio-maternidade, salário-maternidade, entre outros; contribuição previdenciária, dispensa da obrigação de alvará e licença para executar suas atividades, acesso facilitado a linhas de crédito com juros reduzidos e, principalmente, a emissão de nota fiscal, garantindo mais transparência e segurança para os clientes. 

Para ser MEI, é necessário fazer o cadastro de forma gratuita acessando o Portal do Empreendedor, ir até a opção “Quero ser MEI”, clicar em “Formalize-se”, seguir as instruções que aparecerem nas telas seguintes e seu cadastro já estará pronto! 

As únicas obrigações que o MEI deve cumprir são: 

Pagamento da tributação mensal: Todo mês, o microempreendedor individual deve pagar sua contribuição mensal para os órgãos federais através de uma guia chamada Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), que assegura o direito aos benefícios previdenciários.

O valor é composto por 5% do salário mínimo do ano vigente mais R$ 1 do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e R$ 5 do ISS (Imposto sobre Serviços). A tributação varia conforme a categoria de atividade do MEI, ficando assim:  

  • Empresas do comércio ou indústria: R$ 61,60 (sendo R$ 60,60 para o INSS + R$ 1 de ICMS); 
  • Prestação de serviços: R$ 65,60 (sendo R$ R$ 60,60 para o INSS + R$ 5 de ISS); 
  • Comércio e serviços: R$ 66,60 (sendo R$ R$ 60,60 para o INSS + R$ 5 de ISS e R$ 1 de ICMS). 

Entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI): O empreendedor que atua como MEI deve entregar anualmente a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI), mesmo que não tenha havido faturamento.

Se você abriu seu cadastro como MEI neste ano fique tranquilo: a declaração será enviada apenas no ano que vem. O valor da declaração é calculado proporcionalmente aos meses em que a empresa funcionou durante o ano. 

A entrega é feita totalmente on-line, através da página dedicada no site da Receita Federal. Basta digitar o CNPJ e seguir para o preenchimento da declaração. 

Microempresa (ME)  

Para quem quer investir mais, abrir uma microempresa (ME) pode ser a melhor opção. O limite anual de faturamento sobe para R$ 360 mil, aumentando as chances de ganhos, dentre as vantagens estão:  

  • Contratação de 09 funcionários (segmento de comércio e serviços) até 19 funcionários (segmento industrial); 
  • Criar uma sociedade empresarial com um ou mais sócios; 
  • Definir até quatro categorias de natureza jurídica; 
  • Escolha do regime tributário: Simples Nacional (ou Super Simples), Lucro Presumido ou Lucro Real. 

Com relação ao regime de impostos, o Simples Nacional (ou Super Simples) também possui o recolhimento unificado por meio do DAS, assim como o MEI. A diferença aqui é que são recolhidos impostos municipais, estaduais e federais (como INSS, ISS, ICMS, PIS, COFINS, IPI, etc.), mas todos são pagos em um só documento, simplificando a contabilidade. É importante mencionar que as alíquotas variam conforme o segmento que você atua e o faturamento mensal. 

Outro ponto que merece destaque quando se pensa em abrir uma microempresa é a redução de obrigações trabalhistas, como a dispensa de fixação de quadro de trabalho, anotações de férias em livros de registros, comunicar férias coletivas ao Ministério do Trabalho e Previdência e outras. 

Para abrir sua microempresa, considere que o processo leva mais tempo quando comparamos com o MEI, uma vez que existem mais etapas, que são: 

Contratação de um contador: antes de tudo, contrate um contador, já que ele será a peça fundamental para que a saúde financeira de sua empresa esteja em dia, além disso, ele será o responsável pelo livro-caixa, documento que ajuda no registro contábil e no cálculo de tributos da sua empresa. 

Procurar a direção correta: caso queira buscar orientações sobre o mercado que seu negócio vai atuar e fazer um planejamento estratégico, vá até o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) da sua cidade.

A instituição oferece consultoria sem custos on-line, mentorias com especialistas para vender pela internet e cursos gratuitos para melhorar a qualidade da sua empresa em todos os aspectos. 

Definir sua natureza jurídica: existem várias opções societárias para definir como será o seu negócio. Se não houver sócios, você pode escolher entre empresa individual ou Sociedade Limitada Unipessoal (SLU). Caso existam um os mais sócios, pode-se abrir uma Sociedade Empresária Limitada ou uma Sociedade Anônima (S/A). 

Estabeleça um nome jurídico e fantasia: já imaginou que o nome que você pensou para sua microempresa está sendo usado por outro? Por isso, acesse o site da Junta Comercial do seu estado para consultar se existe um nome idêntico ou semelhante ao da sua empresa.

Está tudo certo? Então registre os nomes, por meio da Razão Social, na própria Junta Comercial ou no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas. Lembre-se de que o nome jurídico (Razão Social) é aquele que estará em documentos e transações legais, enquanto o nome fantasia será usado para divulgar seu negócio comercialmente. 

Escolha as áreas de atuação e o local: defina em quais segmentos seu negócio irá atuar utilizando o CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas), uma vez que a regulação e a tributação dependem disso. Depois disso, veja se é possível constituir sua microempresa em sua cidade acessando o portal REDESIM. Se por acaso seu município não aderiu a REDESIM, a viabilidade só pode ser consultada na Prefeitura ou Secretaria Municipal, em um local específico. 

Faça um contrato social: uma das partes mais importantes na hora de abrir uma microempresa é a criação do contrato social, documento que define as atividades que sua empresa irá exercer e o funcionamento da mesma, além da participação de capital sua e dos sócios, caso houver. 

Registre a empresa na Junta Comercial: confira diretamente na REDESIM se você pode abrir sua empresa com a atividade, local e nome escolhidos. Se tudo estiver correto, entre no site da Receita Federal para imprimir e preencher o Documento Básico de Entrada (DBE), que garante a validade jurídica da empresa e possibilita o registro na Junta Comercial do seu estado. Com o DBE aprovado, a Junta irá fornecer tanto o CNPJ quanto o Número de Identificação do Registro da Empresa, o NIRE. 

Inscrição Municipal e Estadual: Se o município estiver cadastrado na REDESIM, a inscrição acontece automaticamente, bastando desbloquear por meio do número de protocolo que foi gerado no site. Em outros casos, é necessário verificar com a Prefeitura da sua cidade.  

Conectividade Social: uma vez que sua microempresa deverá pagar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e a Previdência Social, realize o cadastro de Conectividade Social no portal da Caixa Econômica Federal. Para acessar, adquira um certificado digital no padrão ICP-Brasil. 

Opcional – Registre sua marca: se quiser divulgar sua marca, você deve registrá-la no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Lembrando que esta etapa não é obrigatória, portanto, não fazendo parte do registro no Cartório ou Junta Comercial. 

Seguindo todos estes passos, seu negócio estará pronto para funcionar! 

Continue de olho Blog da Cetro e fique por dentro de todos os nossos conteúdos, eles são feitos para ajudar você e sua empresa a evoluir sempre! 

Muitos trabalhadores já estão recebendo o benefício do FGTS desde Abril, a medida incentiva a aceleração do mercado e da economia.

Saques vinculados ao FGTS de trabalhadores brasileiros, como o Saque Extraordinário e o Saque Aniversário são benefícios que o Governo Federal libera aos contribuintes visando o crescimento da economia do país, além de dar a possibilidade para que estes trabalhadores possam quitar ou amortizar dívidas prévias. O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) foi criado em 1966 com o intuito de dar ao trabalhador uma proteção financeira em casos específicos, como a aposentadoria, a demissão e a compra de imóveis.

Além de fortalecer a economia, o saque extraordinário facilita ao consumidor adquirir bens materiais de uso doméstico e comercial, e abre a possibilidade para que este montante seja investido para o início de um novo empreendimento ou para uma nova forma de buscar renda extra, o que com o passar do tempo pode se tornar um grande negócio.

De acordo com o último levantamento disponibilizado pela Agência Sebrae de Notícias, realizado pelo Sebrae com dados da Receita Federal em relação aos novos empreendimentos no Brasil, em 2021 o país atingiu quase quatro milhões de novos empreendimentos, sendo 80% deles microempreendedores individuais de pessoas que buscam obter fontes de renda estáveis e se tornarem donos de seus próprios negócios.

A Cetro acredita na transformação de sonhos em realidade e acredita que todos que vislumbram a independência financeira podem expandir seu negócio progressivamente com padrão, segurança e qualidade. Assim, montamos um breve guia que pode ser utilizado para começar um empreendimento, nele, listamos algumas máquinas e opções de compra dentro do valor disponibilizado pelo benefício do saque aplicado.

SELADORA A VÁCUO COMERCIAL COM RESERVATÓRIO

A Cetro possui inúmeras opções de seladoras a vácuo e com certeza existe um modelo que pode ser a opção ideal para o seu novo empreendimento, de fato. São máquinas que atendem a diversos nichos do mercado e inúmeras escalas de empresas, desde pequenas, a médias e grandes produtividades, e que tem o objetivo de melhorar os processos produtivos de embalagem e finalização dos produtos.

Por conta dessa grande variedade, selecionamos uma seladora manual que une características ideais para quem está começando, como o reservatório que traz a possibilidade do trabalho com carnes prontas e produtos líquidos com um preço que cabe no bolso.

A Seladora a Vácuo Comercial com Reservatório abre a nossa lista de máquinas. Além de compacta e portátil, ela é capaz de selar qualquer tipo de produto, inclusive com líquidos pois garante sua sucção e realiza o armazenamento em um reservatório, sem risco de entupir o bico de sucção ou que ele leve qualquer resquício de material à bomba da máquina.

Utilizando embalagens lisas, o equipamento possui painel digital, o que torna o uso intuitivo, assim em apenas alguns minutos você já conseguirá embalar alimentos e comercializá-los com a segurança de um shelf life entre 5 e 10 vezes maior do que o de uma embalagem comum.

Com opções de máquinas 110V e 220V, a Seladora a Vácuo Comercial com Reservatório sai por R$ 899,00 em até 12x sem juros, podendo chegar a R$ 809,10 à vista no PIX. Sem dúvidas, essa seladora está entre as mais procuradas por comerciantes e também é ideal para quem planeja investir em seus primeiros projetos ou qualificar os processos de negócios que já estão em andamento.

Seladora Manual de Plástico PFS

Queridinha por muitos, a Seladora Manual PFS vem ganhando espaço e é um dos primeiros equipamentos de microempresários que planejam faturar com o embalo de produtos caseiros. Seja chocolates em barra, bombons, brownies, doces em geral, geladinhos, salgados, pipoca ou mesmo produtos de mercado, como carnes, legumes, peixes, queijos, massas e grãos, a PFS está entre as seladoras mais vendidas pela Cetro quando o assunto é investimento a longo prazo.

Por conta de sua baixa manutenção e alta qualidade de selagem, a PFS integra uma lista de máquinas que podem ajudar no início de pequenos projetos que têm baixo custo de produção. Produzida em plástico injetado, versátil e muito resistente, ela sela em até dois segundos e possui oito níveis de temperatura ajustáveis.

Outro motivo para que ela seja tão aproveitada por novos empresários é sua variedade de tamanho, podendo ser adquirida em modelos com barras de selagem de 10cm, 20cm, 30cm ou 40cm e podendo ser encontrada em versões de 110V e 220V. Além disso, é possível encontrar modelos de 10cm e 20cm com suporte para geladinho, facilitando o processo de produção de um produto muito vendido no Brasil.

As seladora Manuais variam entre R$ 109,90 e R$ 249,00 conforme o tamanho da barra de selagem, assim como os modelos com suporte que vão de R$ 346,90 à R$ 389,00.

Seladora de Pedal com Temporizador Cetro

Apesar de haver modelos que ultrapassam o valor destinado pelo abono do saque extraordinário, a Cetro possui modelos de Seladora de Pedal com Temporizador que cabem no bolso com facilidade, como o caso da seladora de 40cm de barra de selagem, fabricada em aço com pintura eletroestática e com baixíssimo custo de manutenção.

Este equipamento ajuda muito ao operador com o ajuste de temperatura através do seu temporizador, podendo manter-se constante durante todo o trabalho realizando selagens uniformes. A Seladora de Pedal aceita praticamente todos os tipos de plásticos soldáveis e trabalha através de acionamento de pedal, uma ótima qualidade que evita a fadiga ao poder trabalhar confortavelmente sentado.

Este modelo de 40cm de barra de selagem pode ser encontrado em nosso site por apenas R$ 835,90, assim como modelos de menor valor. Além desses, a Cetro possui modelos com até 1,5m de barra de selagem e dá as melhores condições de pagamento para qualquer máquina, entre nosso site e confira.

Datador Manual

Se estiver pensando ou precisando inserir informações importantíssimas ao seu produto, nada melhor do que oferecer ao consumidor dados, como data de fabricação, lote, vencimento e informações necessárias para que seu item embalado, envasado ou empacotado tenha credibilidade no mercado.

O Datador Manual é um equipamento completo com três linhas de impressão e até 15 dígitos por linha. O processo de impressão do datador é feito através de termotransferência garantindo impressões nítidas e invioláveis. Ele utiliza fita hot stamping que realiza a impressão no processo de aquecimento do porta dígitos às embalagens, assim elas podem ser expostas a ambientes de baixa ou alta temperatura com total tranquilidade.

É possível adquirir este mesmo datador manual por apenas R$ 589,00 em nosso site. Se preferir, ainda há a possibilidade adquirir combos deste modelo junto a fitas datadoras ou até suportes para datar potes, tampas e rótulos. Confira!!

Fritadeira Profissional Cetro Inox – Gás e Óleo

Se você pensa em fritar produtos para venda, talvez a Fritadeira Profissional Cetro Inox seja o equipamento ideal para o seu próximo negócio. Com modelos disponíveis de uma ou duas cubas, essa fritadeira é acompanhada de um cesto metálico de 3,3 litros, onde serão alocados os produtos durante o processo de fritura.

Sua cuba de de 4,8 litros permite o trabalho com uma grande quantidade de alimentos para fritura, como batata, quibe, peixe empanado, pastel, coxinha e muito mais.

Apesar de bem equipada, moderna e sofistica, a Fritadeira Profissional Cetro Inox é um equipamento simples, sendo necessário apenas seguir com atenção as suas orientações e especificações. Vale lembrar, os dois modelos utilizam apenas óleo para o preparo dos alimentos.

Hoje, em nosso site, a Fritadeira Profissional com 1 Cuba pode ser encontrada por apenas R$ 369,00. Seu modelo com duas cubas totalizando 9,6 litros sai por R$ 589,00. A Cetro possui outros modelos de fritadeiras que também são muito buscadas por profissionais da gastronomia, entre e confira.

Ainda tem dúvidas sobre como investir seu abono com máquinas da Cetro? Não tem problema. Com o nosso time de vendedores fica muito mais fácil obter informações e tirar qualquer dúvida sobre nossos equipamentos, tudo isso com comunicação humana diretamente da Matriz em Bauru.

Caso queira nos visitar e ver de perto toda a nossa estrutura e atendimento presencial, visite uma de nossas filiais em São Paulo, Rio de Janeiro ou Belo Horizonte ou visite-nos também em nossa matriz em Bauru e deslumbre o maior showroom de máquinas para embalagens da américa latina.

Sabemos que o método de selar a vácuo os produtos e alimentos é uma maneira bastante eficaz de garantir e preservar a qualidade deles.

Além disso, é possível utilizar o método para embalar diversos produtos. Mas você sabia que existem equipamentos diferentes capazes de realizar esta tarefa?

Hoje, iremos falar da seladora a vácuo e da seladora a vácuo de câmara. Entenda a diferença entre os modelos e escolha aquele que se enquadra às suas necessidades!

O que é um produto embalado a vácuo?

Já ouviu falar de alimentos embalados a vácuo? Esse processo envolve a retirada de todo o ar presente na embalagem. Ao serem conservados a vácuo, os alimentos ficam longe do contato com o ar, mantendo a textura, cor e sabor, afinal, não perdem os nutrientes.

Da mesma forma, as embalagens a vácuo são grandes aliadas de, por exemplo, proteínas, como as carnes, que perdem propriedades específicas ao entrarem em contato com o ar devido à proliferação de bactérias e, até mesmo, fungos que reduzem a vida útil dos alimentos.

Você pode embalar os mais diversos tipos de alimentos, como grãos, cereais, carnes, legumes, verduras, alimentos com ou sem líquidos. Porém cada alimento requer cuidados especiais antes de ser selador a vácuo, como manuseio, limpeza e até cozimento. Para maiores informações consulte o site do Embrapa.

Como lucrar com as seladoras?

Por que embalar a vácuo?

Quem trabalha com a manipulação de alimentos entende a importância de tomar diversos cuidados para o melhor condicionamento dos produtos. Por isso, deve-se levar em conta fatores como a perecibilidade e qualidade do alimento que é levado à mesa do consumidor.

Assim, alguns alimentos demandam atenção durante o tratamento e conservação. Pois ao utilizar uma embalagem a vácuo, o produto está protegido contra a perda de características únicas presentes no ar.

Um produto embalado a vácuo é garantia de qualidade e segurança para o consumidor. Dessa forma, é responsabilidade do fornecedor do alimento garantir que o produto chegue intacto para o consumo, agregando maior valor à empresa e benefícios à saúde do cliente.

Como utilizar uma seladora a vácuo? 

Seladora a Vácuo Portátil ou de Câmara: Qual escolher?

Para que você entenda a diferença entre seladora a vácuo e seladora a vácuo de câmara, vamos conferir as características de cada uma delas:

Seladora a Vácuo Portátil

Há diversos modelos de seladoras, porém, as que são seladoras a vácuo, sem outros itens acrescentados, costumam ser equipamentos menores e mais compactos.

Com estrutura pequena e portátil, você pode levar o equipamento para todos os lugares que quiser. São ideais para menores produções, como pequenos estabelecimentos e locais com baixa demanda.

Ou seja, são perfeitas para quem deseja incrementar a produtividade de seu negócio, iniciar sua produção ou ainda organizar o dia a dia doméstico. A seladora pode ser usada inclusive no preparo de receitas, deixando os temperos em conserva para impregnar os sabores e fragrâncias. Por isso, é comum que estas máquinas consigam selar embalagens uma por uma.

Seladora a Vácuo Doméstica

Seladora a Vácuo de Câmara

Já quando falamos sobre uma seladora a vácuo de câmara, comumente vemos máquinas maiores e mais robustas. São adequados para suportar produções em série. Assim, selam mais de uma embalagem ao mesmo tempo, agilizando ainda mais o processo.

Elas contam com a possibilidade até mesmo de obter duas câmaras. Dessa forma, enquanto você sela alguns produtos de um lado, já consegue organizar os próximos do outro.

Além disso, as aplicações para produtos embalados a vácuo são inúmeras e podem ser utilizadas em diversos segmentos embalando produtos grandes como: pedaços de carnes, peixes, linguiças, pizzas, palmitos, frios fatiados, aves, massas, queijos, charque, comidas congeladas e vários outros produtos.

Outra vantagem é o opcional em alguns modelos de realiza o processo de injeção de ATM, a atmosfera modificada, que é ideal para produtos vegetais, leguminosos e até mesmo produtos prontos que irão as prateleiras, tudo isso com um ajuste simples.

Seladora a Vácuo DZ510 Industrial

A melhor opção

Além disso, algumas máquinas contam com recursos específicos de acordo com cada necessidade, como seladoras a vácuo com reservatório de líquidos evitando seu contato direto com o equipamento, pois podem danificá-lo, garantindo maior potência e aumento da capacidade produtiva.

Portanto, vale lembrar que cada seladora possui uma função específica e deve ser escolhida conforme a necessidade de produção.

A Cetro oferece soluções completas para todos os itens necessários para organizar seus alimentos, como equipamentos para selar a vácuo, e também embalagens próprias para o preparo que atendem todas as certificações internacionais de qualidade.

Acompanhe o Blog da Cetro para conhecer outras técnicas de conservação de alimentos e equipamentos que podem aumentar a produtividade da sua cozinha.

Empreender não se trata apenas de abrir uma empresa, mas sim, oferecer uma solução para diversos problemas.

Grande parte das angústias estão relacionadas ao trabalho ou dinheiro, por isso, ao empreender você tem a possibilidade de suprir essas necessidades e também pode realizar um sonho ao fazer o que gosta.

Por isso, é importante desenvolver uma mentalidade empreendedora e possuir características que impulsionem a sua jornada.

Quer aproveitar a oportunidade e entrar no mundo do empreendedorismo? Acompanhe o artigo de hoje.

O que é empreendedorismo?

A definição de empreendedorismo foi apresentada pelo economista Joseph A. Schumpeter em 1942, onde associava o ato de empreender com o desenvolvimento econômico. De modo simples, podemos entender o empreendedor como alguém que tira uma ideia do papel, ou seja, quem realiza algo que é novo, colocando em ação.

Entretanto, ser um empreendedor não significa ser um empresário. Afinal, no ambiente empresarial, esse conceito está relacionado com a busca de novas oportunidades através da inovação e empreendedorismo.

Portanto, os empreendedores fazem acontecer, seja no Brasil ou em outras partes do mundo, solucionam os problemas das pessoas, empresas e da própria sociedade, promovendo desenvolvimento e mudanças positivas.

Como empreender?

O empreendedorismo tem relação com a ideia de um produto ou serviço que ofereça a solução para os problemas e necessidades dos consumidores. Logo, o primeiro passo para ser um empreendedor é perceber rapidamente novas oportunidades.

Mas não é somente de intuição que se vive um empreendedor.

Por isso, é importante partir analisar os fatos, afinal, com mais dados e informações sobre equipamentos, o negócio fica melhor embasado.

Assim, é possível optar por caminhos como:

  • Atender uma demanda em determinadas localidades;
  • Desenvolver produtos ou serviços para públicos específicos;
  • Melhorar um produto ou serviço já existente.

Quem empreende sai da idealização, pois implica em correr riscos, ao colocar o planejamento em prática para desenvolver sua empresa.

Confira o artigo: “Como uma máquina pode agregar valor ao seu produto?”

Características de um empreendedor

De acordo com o Sebrae, o Brasil possui mais de 12 milhões de microempreendedores individuais (MEI), micro e pequenas empresas. Apesar do número expressivo, muitas demandas dos consumidores ainda são atendidas.

Lembre-se: pense nos consumidores! É preciso oferecer o que satisfaça as necessidades deles.

E se você busca empreender por achar que trabalha demais, pense direito nessa ideia. No início será preciso muito gás para obter retorno do investimento e crescer.

Por isso, é importante possuir algumas características fundamentais para ser um bom empreendedor. Além disso, é preciso estar atento e ligado ao mercado para perceber oportunidades de investimento.

Ou seja, tudo deve começar com disciplina e dedicação.

E isso é um desafio e tanto. Afinal, exige muita inteligência emocional, empatia, profissionalismo, além da vontade de servir.

Leia nossas dicas para aumentar a sua produtividade

Dicas para empreender com sucesso

Para colocar a sua ideia em prática, é importante se atentar em alguns detalhes.

Dedique-se

Sem trabalho duro é impossível tirar seu negócio do papel. Por isso, não se desmotive com o fato de as coisas andarem devagar e continue fazendo um pouco mais a cada dia até se dedicar ao projeto em tempo integral.

Estude e leia

Não deixe de estudar ou ler para estar sempre atualizado, afinal, nada é mais benéfico para o intelecto do que esses hábitos.

Aprenda com os erros

Aceite os erros e reflita antes de virar página, assim você evitará de cometer o mesmo equívoco novamente.

Delegue funções

Para sua empresa crescer, é preciso confiar em outras pessoas e delegar atividades importantes. Para isso, melhore processos seleção e desenvolvimento para realizar a atividade de forma mais simples.

Seja um líder

Se você tiver uma preocupação verdadeira com seus funcionários, tenha em mente qual a diferença entre um líder e gestor, o primeiro inspira e o outro apenas manda.

Amplie sua visão

É importante ter um olhar 360 graus sobre a empresa e conhecer as atividades que desenvolve. Saber como os processos internos se relacionam entre si caracterizam a visão sistêmica.

Peça ajuda

A jornada do empreendedor pode ser solitária, por isso, ao se deparar com qualquer dificuldade, não tenha medo de pedir ajuda a especialistas mais experientes.

Corra riscos calculados

Riscos calculados aumentam a competitividade do seu negócio, reduzindo as chances de se tornar obsoleto. Os riscos mais coerentes com seu negócio podem ajudar a empresa a crescer, evitando grandes perdas.

Foque na jornada

Episódios infelizes não devem medir seu sucesso, afinal, nesses momentos é importante resgatar sua motivação e lembrar que mesmo o insucesso faz parte da sua jornada.

Enquanto empresas trabalham somente com equipamentos tecnológicos, que são um investimento importante, outros negócios necessitam de soluções específicas, como envasadorasseladorasrotuladoras ou mesmo fechadoras de caixas. Por isso, para que a produtividade seja a melhor possível os equipamentos devem acompanhar a eficiência da empresa.

E se você quer empreender com os equipamentos corretos e contar com uma assistência completa para qualquer lugar do país, saiba que a Cetro oferece soluções completas para automatizar sua produção de maneira prática e rápida.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.

A prática do Mindset tem relação com a mentalidade que cada pessoa tem sobre a vida e o mundo ao seu redor. Outra característica é o modo no qual você organiza seus pensamentos e encara as diversas situações no dia a dia.

As nossas atitudes dizem muito sobre nosso comportamento. Por isso, é provável que você já tenha ouvido falar sobre o Mindset, mas você sabe o que o termo significa?

Para responder o questionamento sobre o assunto, preparamos um artigo especial para ajudar a desenvolver o seu Mindset tendo em vista suas metas e objetivos.

Acompanhe o texto até o final.

O que é Mindset?

O termo em inglês “mind” é traduzido como “mente”, enquanto “set” pode ser entendido como configuração. Logo, ao pé da letra, Mindset significa configuração da mente.

Essas definições parecem ser tiradas de um filme de ficção científica, mas não tem relação nenhuma com robôs e computadores de última geração.

A ideia foi apresentada por Carol Dweck, pesquisadora da Universidade de Stanford, localizada no estado da Califórnia, Estados Unidos.

O termo significa “configuração da mente” ou “modelo mental”.  Que nada mais é do que a maneira como uma pessoa pensa, logo, a configuração dos seus pensamentos.

De acordo com Carol, o sucesso, nas diferentes áreas da vida, não está exclusivamente vinculado a um talento ou habilidade. Na verdade, está, principalmente, relacionado ao resultado da maneira como encaramos a vida.

O conjunto de ideias e valores de uma pessoa geram o Mindset, ou modelo mental predominante. Esse modelo é responsável pelo modo como cada indivíduo compreende o que acontece em sua vida, motivando suas decisões com base na realidade em que está inserido, norteando sua vida.

Tipos de Mindset

O Mindset envolve as crenças, atitudes e pensamentos, ou seja, é a visão de mundo de uma pessoa. E essa noção mostra o poder da mentalidade sob os resultados.

Por isso, vamos te explicar quais são os dois tipos de Mindsets existentes e qual deles pode te ajudar a se tornar uma pessoa mais resiliente.

Mindset Fixo: Os conformados

Você já vivenciou uma sensação de conformidade?

Quem possui um Mindset Fixo acredita que a capacidade, habilidade e inteligência nasce com o indivíduo.  Assim, pessoas de configuração mental fixa pensam que apenas indivíduos naturalmente talentosos alcançam o sucesso. Por exemplo, pensam que para empreender é preciso um tipo de dom.

Dessa forma, acham que o esforço não pode gerar mudanças, pois o fato de se esforçar quer dizer que não é capaz. Por isso, geralmente, evitam qualquer desafio pelo medo de falhar. E, quando surge algum obstáculo, já pensam em desistir e não buscam aprender com a situação.

Como você pode perceber, essa atitude não é apropriada para quem busca ter um negócio bem sucedido. Afinal, para isso, é preciso estudar diversas áreas, sendo essencial estar em constante evolução e buscar novos conhecimentos.

Mindset de Crescimento: Os vencedores

Já ouviu falar que nenhuma situação é tão boa que não possa melhorar?

O Mindset de Crescimento é recomendado para empreendedores, pois são essas pessoas que acreditam no desenvolvimento da inteligência e habilidades. Assim, sempre se esforçam para conhecer novas áreas e se aperfeiçoar.

Ao contrário do Mindset Fixo, o de Crescimento acredita que os obstáculos sempre revelam uma oportunidade de superação ou aprendizado. E a melhor forma de aplicar esse Mindset é colocando suas ideias em prática.

Pessoas com o pensamento de crescimento são movidas por desafios, afinal, o esforço não se baseia no essencial e vai além, valorizando o trabalho duro e méritos, ao invés de apenas premiar por resultados.

Dicas para aprimorar seu Mindset

Não adianta tentar mudar uma atitude sem alterar a sua mentalidade, pois assim, o comportamento anterior voltará a se repetir. É preciso criar pensamentos positivos e desafiadores, eliminando ações que podem te prejudicar.

Se você precisa alterar a sua forma de pensar, confira algumas dicas para aprimorar o seu Mindset.

Trabalhe o autoconhecimento

O primeiro passo para a mudança de comportamentos e pensamentos é trabalhar no autoconhecimento. E, aqui, estamos falando do processo de tomada de consciência, isto é, de quem nós somos.

Quando damos início ao processo passamos a entender melhor os motivos que nos levam a fazer as coisas de determinada forma, e não de outra. Assim, temos a oportunidade de realizar mudanças necessárias baseadas em nossa realidade, buscando desenvolver um pensamento de crescimento para a vida.

Saiba como começar um negócio do zero

Busque inspirações

Não, você não deve se aproximar das pessoas com interesse em obter algo material para si.

A dica aqui é estar próximo de indivíduos bem sucedidos, com grandes resultados em suas histórias. Assim você terá a oportunidade de aprender como cada um reage com projetos que dão certo ou o que fazem quando os planos não vão como o esperado. Observe como funciona a mentalidade de cada pessoa nas quais você se espelha e, então, monte seu Mindset.

Dessa forma, essas pessoas se tornarão fontes de inspiração para você se sentir motivado a implementar mudanças em sua realidade e desenvolver o seu Mindset de Crescimento.

Leia mais: “Como engajar sua equipe?

Foque no positivo

Quando algo ruim acontece, focamos apenas nos aspectos negativos, não observando o que a experiência significou positivamente.

As adversidades e desafios que enfrentamos em nossa vida têm o poder de nos transformar, fortalecer nossas emoções, sentimentos e, principalmente, nos ensinar a não cometer os mesmos erros para uma caminhada sem falhas e de sucesso.

Como aumentar os resultados de uma empresa?

Mindset: como moldar?

Mindset significa mentalidade e refletir sobre isso é essencial para quem busca empreender ou mudar sua filosofia de vida. Existem dois tipos de configurações mentais e, para obter sucesso, você deve desenvolver um Mindset de Crescimento.

Seja no ambiente de trabalho ou pessoal, o sucesso das nossas vidas está diretamente ligado à forma que pensamos. Por isso, é mais fácil entender como o Mindset dialoga com nossa disposição de aprender indo além da autoconfiança e o modo de encarar os desafios.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.

Para quem busca investir em confeitaria é importante saber que há diversas possibilidades de colocar isso em prática. Esse ramo se adapta a qualquer tipo de investimento inicial e permite que você comece trabalhando em casa.

O mercado da confeitaria tem crescido muito nos últimos anos. O motivo? A confeitaria atrai todo mundo e, com a facilidade e avanço da tecnologia, qualquer pessoa pode aprender e montar seu próprio negócio.

E se você é uma das pessoas que pensa em investir nesse ramo, acompanhe o nosso conteúdo para saber como começar a trabalhar com confeitaria. Confira!

O faturamento da Confeitaria

O mercado de confeitaria faturou mais de R$95 bilhões só em 2019. Tendo como estimativa o crescimento global de 31% até 2025.

O valor do ticket médio aumentou, ou seja, o consumidor final está disposto a gastar mais com esse tipo de produto, favorecendo a tendência de crescimento do setor e aumentando diversas vendas. Porém, vale ressaltar que esses retornos ocorrem a longo prazo. Por isso a necessidade de planejamento e análise do mercado antes de iniciar qualquer negócio.

Apesar disso, é importante dizer que com um pequeno orçamento é possível iniciar a sua produção em casa. Se você pretende começar com o que tem, saiba que o lucro médio pode variar entre R$4 mil a R$10 mil reais.

A Cetro possui uma linha completa de máquinas nessa faixa de preço, acesse nosso site e conheça.

Como abrir sua confeitaria?

Muitas pessoas planejam tirar seus sonhos do papel e se tornarem donos do seu próprio negócio. O diferencial da área de confeitaria é a possibilidade de empreender em diversos campos sem a necessidade de investir muito dinheiro para começar.

De acordo com o Sebrae, 1 em 4 empresas fecham antes de completarem 02 anos de mercado. Por isso, separamos um passo a passo prático do que é necessário para você que deseja investir nesse ramo:

Especialização

O primeiro passo é se especializar, tanto na parte culinária, quanto na parte administrativa. É preciso conhecer sobre o mercado, como gestão financeira, estratégias de venda e vários outros assuntos. Afinal, não importa o qual bom você seja na cozinha: esteja atualizado em relação às tendências da gastronomia.

Invista em Capacitação

Com a capacitação profissional necessária para iniciar um negócio, é possível enxergar os melhores caminhos. Facilitando o entendimento dos desafios para focar em uma área específica e alcançar o sucesso, as vantagens de poder tomar decisões com assertividade são enormes e permitem que você chegue longe.

Antes de conquistar uma boa renda no mercado, é preciso investir em você e na sua capacitação para que a confeitaria se adapte ao seu plano de negócio. Afinal, diversas empresas disponibilizam cursos que ensinam como planejar o seu negócio de modo prático.

Com isso, as chances de conquistar o espaço que deseja, sem grandes investimentos, irão depender da sua experiência e dedicação em cursos, identificando sua área de profissão mais rentável para iniciar os trabalhos. Por isso, avalie as possibilidades da confeitaria antes de tomar uma decisão.

Conheça seu Público

Depois de realizar um planejamento de mercado, é importante definir o seu público-alvo para entender melhor os custos e qual o investimento necessário para começar seu trabalho. É comum alguns empreendedores oferecerem produtos de maior valor em regiões mais humildes, porém, esse erro pode custar o sucesso da empresa. Por isso, opte por estar localizado em uma boa região, com alta circulação de pessoas e que esteja adequado com o seu orçamento de gasto previsto.

Invista em equipamentos

Uma confeitaria é formada por área de produção e estoque. Todos os ambientes devem estar organizados e bem limpos. Empresas maiores contam com área de atendimento, depósito, sanitários para os clientes e um escritório de administração.

Grande parte dos investimentos iniciais do seu negócio estão voltados para a compra de equipamentos de qualidade. Por isso, é importante investir em materiais duráveis para garantir o pleno funcionamento do empreendimento e também a qualidade dos produtos oferecidos aos clientes.

Leia o artigo “04 motivos para ter uma envasadora de bico móvel em sua confeitaria

Invista na divulgação

Uma dica para quem está começando a trabalhar com essa área é a venda por encomenda.

Esse método é seguro para empreendimentos em fase inicial, facilitando na hora de produzir ao economizar recursos.

Além disso, com a evolução tecnológica, há outras maneiras de vender seus produtos, como as vendas pela internet. Aumentando as vendas e utilização a cada dia que passa, a internet é a principal forma de divulgação nos dias atuais devido ao baixo custo, fator extremamente importante para pequenos negócios.

Qualidade e higiene

Outro tópico importante de discutir é a atenção quanto às regras da Vigilância Sanitária. Afinal, mesmo trabalhando em casa, o negócio precisa de setores separados, organizados e higienizados para evitar contaminações no preparo.

Confira o artigo “10 dicas de limpeza na cozinha industrial ou doméstica”.

Soluções para Confeitaria é na Cetro

A Cetro oferece soluções completas e itens necessários para iniciar, incrementar ou ampliar a sua produção, incluindo máquinas para confeitariaseladorasdatadores e também embalagens ideais para alimentos que atendem as certificações internacionais de qualidade.

Para quem gosta de preparar doces, a confeitaria irá ganhar o seu coração.

Sentir felicidade no trabalho, com menos pressão, torna a atividade prazerosa ao aprimorar na gastronomia com criatividade.

Quer empreender com os equipamentos corretos e contar com uma assistência completa para qualquer lugar do país? Acesse o nosso site e confira os itens que não podem faltar na sua produção.