O longo período de pandemia acabou agravando as incertezas das indústrias brasileiras em relação ao futuro; agora o cenário pode estar, a passos curtos, voltando ao otimismo

O país viveu cenários de incertezas ao conviver com quedas abruptas de setores durante a pandemia de covid-19 em 2020 e 2021. Estes dois anos causaram impacto em diversos setores da economia mundial e não seria diferente para os empresários ativos das indústrias brasileiras.

Apesar do período conturbado, a confiança destes setores parece estar ganhando forças em enxergar boas chances de crescimento ainda em 2022, como mostram alguns índices que acendem o termômetro para essa expectativa.

Gráfico realizado em pesquisa pelo CNI mostra avanço de 1,3 ponto no ICEI de junho de 2022, a maior marca desde outubro do ano passado

A segurança do empresário é anotada após o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) apontar um otimismo em relação aos setores analisados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), recolhendo dados de 2.251 empresas de pequeno, médio e grande porte no período de 2 a 10 de maio de 2022.

As informações variam entre alta e queda de confiança com setores atingindo resultados acima de 50 pontos, mostrando um aumento de confiabilidade do setor no mês de maio em relação ao mês anterior.

Resultados abaixo de 50 pontos resultam em baixa confiabilidade do empresário para o mercado, porém pode haver aumento mesmo que o índice ainda esteja abaixo da pontuação média de confiança.

Manutenção, Reparação e Instalação de Máquinas e Equipamentos lidera o setor com mais confiança dos empresários

Esferas como Manutenção, Reparação e Instalação de Máquinas e Equipamentos (60,3 pontos), Biocombustíveis (60,2 pontos) e Produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos (60,1 pontos) são algumas das quais atingiram pontuações de confiança consideras mais disseminadas dentre as indústrias brasileiras.

Já os campos como Produtos de Borracha (50,6 pontos), Produtos de Limpeza, Perfumaria e Higiene Pessoal (52,2 pontos) e Produtos Têxteis (53 pontos) são, hoje, os setores com mais queda de confiança dentre os empresários com base nos estudos da pesquisa.

Produção Têxtil está entre as indústrias brasileiras com menor índice de confiança

Apesar da “gangorra” envolvendo algumas divisões, o ICEI considerou, também, o índice em relação ao mesmo período do ano passado, a fim de mostrar uma variação de confiança nesses mesmos setores com pontuações elevadas.

Ramo como o de produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos, apesar de, hoje, estar entre as maiores pontuações com 60,1, teve uma queda de 0,6 se comparado a maio de 2021. Além disso, houve quedas abruptas de confiabilidade do empresário entre este mesmo período.

O setor de Produtos de Borracha, que já atingiu 59,4 pontos, teve queda considerável de 8,8 pontos, assim como a Metalurgia, antes uma das maiores pontuações com 63,4 pontos caindo para 55,9, por exemplo.

No período de um ano, a indústria de borracha teve a maior queda dentre os segmentos destacados

Em relação ao porte das empresas, o ICEI destaca um equilíbrio de pontuação entre as pequenas, médias e grandes indústrias, constando 56,4, 57,3 e 56,6 pontos respectivamente. Apenas com uma pequena queda de 2 pontos entre as grandes se comparado a maio de 2021.

O ICEI por região destaca mais um equilíbrio entre quedas e aumentos da pontuação de confiança do empresário nacional. A região norte caiu 1,6 pontos entre abril e maio deste.

O Nordeste estabilizou pelo segundo mês consecutivo a mesma pontuação de 57,1 pontos. O sudeste teve queda de apenas 0,3 e Sul e Centro-Oeste obtiveram aumento de 0,6 e 1,3 respectivamente.

As indústrias brasileiras vem fortes e confiantes para retomar a necessidade em garantir o bom período pré-pandemia em que pudemos viver na história recente, pesar de quedas e estagnações de algumas esferas das indústrias.

Há muita positividade, pois, nenhum ramo em questão esteve abaixo da linha dos 50 pontos ou seja, o que leva a crer a boa relação de comércio que podemos aguardar após as incertezas do período pandêmico.

Confira aqui a tabela completa com os resultados setoriais da pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria.

O Dia Nacional da Indústria Farmacêutica é celebrado anualmente no primeiro dia de agosto. 

Por isso, como uma forma de homenagear um setor fundamental para o crescimento econômico de diversos países, separamos algumas informações acerca do panorama fármaco atual.

Afinal, em 2019, o mercado farmacêutico no Brasil cresceu em torno de 53% e um fator importante para esse crescimento variou entre a oferta de novos tratamentos e o envelhecimento da população.

Isso porque, até 2060, os idosos devem compor cerca 1/4 da população, conforme os estudos realizados pelo IBGE.

Dessa forma, com inversão da pirâmide etária, o crescimento do mercado farmacêutico no Brasil é iminente e algumas estimativas colocam o Brasil como 5º maior mercado farmacêutico mundial em 2023.  

Acompanhe o nosso artigo e confira as expectativas de crescimento para esse mercado.

O mercado farmacêutico brasileiro

Atualmente, o maior mercado farmacêutico do mundo é o norte-americano.

A classificação de um país é definida de acordo com o percentual de faturamento comparado ao dos Estados Unidos. 

Por exemplo, o mercado farmacêutico brasileiro representa 7% do faturamento dos EUA, portanto, ocupa a 7ª posição no ranking farmacêutico mundial.

Apesar do crescimento recente, o Brasil se destaca no panorama mundial farmacêutico, ocupando entre a 6ª e 7ª posição. 

Porém, estima-se que o país alcance a 5ª posição em 2023. 

Como já dito, o mercado farmacêutico vem crescendo desde 2019, quando ultrapassou a marca de mais de R$100 bilhões em vendas.

E mais: esse número representa um crescimento de 11% em comparação com as vendas de 2018.

Contudo, o aumento mais significativo ocorreu no mercado institucional, que é formado por clínicas, hospitais e o próprio governo. 

Afinal, o setor cresceu quase 58% desde 2015, impulsionado pela inovação em medicamentos, em especial, os indicados para o tratamento de doenças complexas ou raras e problemas degenerativos.

Entretanto, no varejo farmacêutico, em que 75% das vendas são realizadas pelo público final, esse aumento foi superior a 53% nos últimos anos. O aumento foi justificado por diversas variáveis, como o envelhecimento da população brasileira e a oferta de novos tratamentos.

A pandemia do Coronavírus

Apesar de ser esperado, o mercado teve um crescimento durante a pandemia do novo coronavírus ao redor do mundo.

A indústria farmacêutica brasileira vinha apresentando uma taxa média de crescimento de 11,5% ao ano em 2019. 

No entanto, conforme apontado pelo Guia Interfarma 2020, o crescimento alcançou R$69 bilhões em vendas no varejo farmacêutico.

Por outro lado, o mercado institucional alcançou mais de R$33 bilhões, possibilitando um crescimento de 57%.

Conforme os dados da IQVIA, multinacional que audita o setor, o mercado obteve um total de R$190 bilhões em vendas no Brasil.

Desse total, cerca de R$140 bilhões correspondem às vendas do varejo e R$50 bilhões às institucionais. 

Dessa forma, o crescimento médio mensal do varejo farmacêutico foi de 15,4% em comparação ao mesmo período em 2019.

Apesar disso, a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa afirma que há uma demanda reprimida por medicamentos no Brasil.

A demanda, estimada em 50%, poderia ser suprida caso o país tivesse melhor acesso aos medicamentos por parte da população.

Recursos financeiros oferecidos pelo Governo

Você sabia que os recursos financeiros públicos devem ser ajustados e apresentados por meio de Projeto de Lei, que passa por votação no Congresso Nacional? 

Assim, quando aprovado, se torna a Lei Orçamentária Anual. Isso estabelece o valor destinado para projetos e programas do governo voltados para a saúde, educação, segurança, transporte e outras áreas. 

Portanto, o orçamento previsto para 2020 pelo Ministério da Saúde foi de R$ 148 bilhões e, para a Assistência Farmacêutica, que prevê a compra de medicamentos, foi mais de R$ 19 bilhões. 

Mas, em função da pandemia da Covid-19, o governo suplementou o orçamento em R$ 41,2 bilhões para enfrentamento da pandemia.

Desse modo, comparado a 2012, os recursos destinados registraram um crescimento de até 86%. 

No caso da Assistência Farmacêutica, o aumento acontece por razões como:

  • Envelhecimento da população: aumento do risco para doenças crônicas, que requerem uso contínuo de medicamentos, e doenças complexas, como câncer e problemas degenerativos, que implicam em tratamentos de alto custo.
  • Alta demanda do Programa Farmácia Popular: fornecimento de medicamentos com subsídio total ou de até 90% para o tratamento de doenças prevalentes, como diabetes, hipertensão e asma. 

Inovação que também transforma países

Outro fator importante dentro de qualquer mercado é a inovação.

Segundo o Global Innovation Index de 2019, o Brasil ocupa a 66ª posição no ranking mundial de inovação.

Portanto, quanto mais se incentiva a inovação e a descoberta de novos conhecimentos, o país se torna mais atrativo para receber investimentos, possibilitando maior desenvolvimento da sociedade e melhores condições à população. 

E a pandemia do coronavírus mostrou a importância de se ter uma economia fortalecida. 

Afinal, na área da saúde, os investimentos em ciência e tecnologia são cada vez mais fundamentais para auxiliar nas pesquisas de novos tratamentos e de vacinas.

O que esperar desse mercado ainda em 2021?

Sabemos que com a pandemia do novo coronavírus, muitos mercados se viram afetados. Porém, mesmo com as dificuldades, a indústria farmacêutica cresceu em 2020.

Entre janeiro e outubro de 2020, o setor obteve um crescimento de 13,6%, conforme dados da IQVIA.

E o resultado? As vendas e crescimento foram consideráveis em produtos, como: Antidepressivos, suplementos, vitaminas, relaxantes, produtos de beleza, nutrição e higiene.

Contudo, o aumento na venda desses itens se justifica pela situação causada pela pandemia. 

Por isso, a expectativa para 2021 é que o mercado farmacêutico continue a crescer. 

Além disso, com as medidas que o governo adotou e pretende adotar, podem beneficiar ainda mais o crescimento do setor. Algumas das medidas são:

  • Controle da taxa de desemprego;
  • Redução dos gastos públicos;
  • Diminuição dos juros;
  • Privatização de estatais;
  • Reforma da previdência;
  • Reforma tributária e trabalhista.

Crescimento otimizado

A indústria farmacêutica cresceu ainda mais no último ano e as expectativas seguem animadoras para 2021. 

Mas, para otimizar o crescimento, a aposta é melhorar o sistema de gestão visando a otimização dos resultados. 

Dessa forma, é possível aumentar o crescimento, mesmo diante dos desafios atuais. 

Além disso, aumentar a acessibilidade a medicamentos também beneficia não somente o mercado, mas também os consumidores. Afinal, a previsão é que o mercado farmacêutico no Brasil cresça 10,3% até o final de 2021.

Por isso, é importante contar com uma empresa parceira para evitar riscos desnecessários. Com a ajuda adequada e alinhada ao seu negócio, é possível crescer com segurança nesse setor.

O papel da Cetro no crescimento da Indústria Farmacêutica

Encapsuladoras

A Linha de Encapsuladoras da Cetro conta com modelos automáticos e semiautomáticos, que se adaptam de acordo com o tipo de produção de cada negócio.

Os equipamentos dosam diferentes quantidades e podem ser personalizados de acordo com a necessidade.

Além disso, são confeccionadas em aço inox, que evita a oxidação e atende aos requisitos de higiene e durabilidade, tornando-as compatíveis com qualquer ambiente de trabalho.

As Encapsuladoras da Cetro são compactas, com design avançado e atendem às indústrias farmacêuticas, universidades e inúmeros nichos do ramo da saúde que trabalham com cápsulas.

Contadoras e Dosadoras de Cápsulas

A Linha de Contadoras e Dosadoras de Cápsulas da Cetro possui máquinas inteligentes que contam a quantidade exata de cápsulas e as envasa em um frasco ou recipiente.

Por isso, são os equipamentos ideais para aumentar o seu índice produtivo e qualidade da produção através de um envase automático ou semiautomático dos produtos. 

Além disso, os modelos são capazes de contar e envasar diferentes tipos de produtos. Podem atender a diferentes setores, garantindo que os processos sejam otimizados e de alta produtividade.

Prensa de Comprimidos

A Prensa de Comprimidos da Cetro é ideal para prensar pó e resultar em comprimidos redondos.

Dessa forma, a operação do equipamento é automática e contínua para compactar a matéria-prima com precisão. 

Além disso, os índices de produtividade e desempenho da máquina são elevados.

Seu processo potente de alta pressão conta com ajustes contínuos do volume de preenchimento de material, o que proporciona comprimidos com espessuras diferenciadas.

Polidora de Cápsulas

A Polidora de Cápsulas da Cetro é o equipamento ideal para remover sujeira, poeira ou energia estática da superfície das cápsulas. 

Além disso, é um equipamento de fácil montagem e desmontagem, o que também facilita a sua limpeza e consequentemente, a qualidade dos seus processos.

Dessa forma, é uma máquina que funciona de forma completamente automática, retirando qualquer tipo de sujeira de até 150 mil cápsulas por hora.

Elevadores e Alimentadores

O Elevador e Alimentador da Cetro é extremamente produtivo e robusto, com capacidade de elevar até 45 mil cápsulas por hora.

Por isso, é o equipamento perfeito para utilização em conjunto com as máquinas da Linha de Encapsuladoras da Cetro.

Todas as partes da máquina que entram em contato com as cápsulas são produzidas em aço inoxidável, gerando mais segurança e higiene aos processos e ao produto final.

Termoformadoras de Blister

A Linha de Termoformadoras Blister da Cetro conta com equipamentos compactos e de fácil operação, que realizam cartelas de comprimidos e cápsulas no modelo blister.

Além disso, os modelos oferecem automação e altos índices produtivos e otimizam completamente a sua produção.

Afinal, contam e separam as cápsulas, moldam as cartelas e selam o alumínio.

Mas, vale ressaltar que os modelos podem ter seus moldes personalizados e trocados rapidamente para outro tamanho de cápsula ou comprimido, assim como a disposição deles na cartela. 

E se você quer empreender com os equipamentos corretos e contar com uma assistência completa para qualquer lugar do país, saiba que a Cetro oferece soluções completas para automatizar sua produção de maneira prática e rápida.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.

*Artigo baseado no Guia Interfarma 2020 

A INTERFARMA é a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa, uma entidade setorial, sem fins lucrativos, que representa 51 associadas, empresas e pesquisadores que buscam promover e incentivar a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação voltada para a produção de insumos farmacêuticos, matérias-primas, medicamentos e produtos para a saúde humana. 

“Você tem que viver o risco. Ficar calculando é importante, mas o tempo que eu gastaria pensando e planejando, eu uso fazendo” – Léo Mello, CEO da Cetro Máquinas.

Com mais de 10 anos de atuação no mercado, o empresário Leonardo Mello, mas conhecido como Léo Mello ou Léo da Cetro, investe alto na empresa Cetro Máquinas com sede própria na cidade de Bauru-SP.  

Leonardo Mello, 30 anos e proprietário da Cetro Máquinas, desde que começou a trabalhar no mercado teve a visão de onde gostaria de chegar e não mediu esforços para alcançar o posto de maior empresa de máquinas para embalagem do Brasil. 

Confira como foi a entrevista do Léo Mello, CEO da Cetro, para a Revista The Winners.

Afinal, como tudo começou?

Aos 19 anos, Léo Mello trabalhava como representante comercial. 

Vendia peças de vestuário infantil ao deixar a faculdade de Medicina Veterinária, após dois anos de estudo. 

Léo Mello atuava em uma empresa que importava máquinas como o segundo negócio e ganhava uma comissão pelas vendas. “Queria ganhar dinheirocrescerrealizar meus sonhos”, lembra. 

Ele é um exemplo de pessoa que nasceu com espírito de liderança colaborativa. 

Assim, apostou em um modelo de gerenciamento que resultou no crescimento do negócio em pouco tempo e aumento de vendas em um cenário de crise para muitos. 

Tudo isso por conta da visão estratégia e muito estudodedicação e confiança

E foi com esse pensamento que o Léo Mello enxergou a oportunidade de mudar completamente de vida e colocou a ideia em prática. 

Uma característica nata de um bom empreendedor

Como foi a sua jornada até aqui?

Léo resolveu levar uma máquina para casa para estudar a estrutura do equipamento e o funcionamento. 

“Eu não tinha conhecimento técnico. Não foi simples. Queimei minha mão durante uma das análises de máquina e isso fez com que eu percebesse que precisava fazer algo diferente nesse equipamento para que as pessoas que fossem trabalhar com ele não se machucassem”, pontua. 

Léo Mello lembra do início: “Comecei sozinho. Era eu, minha esposa e um funcionário. Se a pessoa fosse me visitar, ela não teria confiança para investir comigo pela falta de estrutura”. 

Mas foi aí que começou o ponto-chave de toda a trajetória de sucesso. 

O empresário usou a internet para pesquisar mais sobre essa máquina em sites estrangeiros, mesmo sem saber falar o idioma. Nesse início Léo Mello importava as máquinas feitas na China

Porém, muitas vezes, por questões estruturais, elas não funcionavam conforme a realidade brasileira. 

Por isso começou a estudar mais e fazer as adaptações

Léo complementa: “O cliente vem atrás do sonho dele e não especificamente da máquina”. 

Além disso, lembra que foi quem criou os termos de pesquisa a respeito no mercado, já que esses detalhamentos ainda não eram familiares. 

Leia mais: Dicas para empreender com sucesso

Como foi empreender nesse mercado?

Contudo, a compreensão da máquina ajudou a passar mais credibilidade perante o produto para os clientes e permitiu alcançar o sucesso: “Um dia eu parei de ganhar comissão. Comecei a comprar e revender”, conta. 

E assim nasceu a Cetro Máquinas para Embalagens

A internet foi a forma que ele encontrou de demonstrar o conhecimento e abrir portas no mercado.

“Fiz um site diferenciado e apostei na minha facilidade de gravar vídeos para que o cliente entendesse o funcionamento da máquina. Com isso, eu consegui vender uma imagem daquilo que eu sabia que me tornaria”, conclui. 

Dessa forma, passou a estudar as normas de segurança e aplicou adequações na máquina para que fosse segura e eficaz

O empresário começou então as vendas das máquinas pela internet em 2013. “Eu não tinha condição financeira de vender várias máquinas. Comecei com uma pequena, que era barata. Comecei a vender na primeira semana que o site estava no ar”, relembra. 

Portanto, o pensamento desenvolveu no empresário convicção de que a forma como vende, utilizando a comunicação, o detalhamentos dos produtos em forma de vídeo, faz toda a diferença para a efetivação da venda. 

Leia mais: O mercado empreendedor feminino no Brasil

Qual o seu papel na empresa hoje?

Léo Mello valoriza muito aqueles que acreditam no trabalho de sua empresa. 

Além dos clientes, os colaboradores, para o gestor, são fundamentais para o desenvolvimento da companhia

E o estilo de gerenciamento foi o que o tornou um empresário de sucesso, mesmo sendo tão jovem. 

Uma das premissas do CEO é a humanização e o pertencimento, por isso prioriza o diálogo direto e frequente com os profissionais. 

Léo diz fazer questão de compartilhar as ideias que têm com as lideranças da empresa e com os demais colaboradores. “A minha empresa nasceu de um jeito genuíno. É como se fosse um filho. Eu não trabalho apenas pelo ganho financeiro. “

A paixão pela empresa acaba sendo transferida também para os funcionários. 

“Eu gosto de ficar perto dos profissionais, mas de forma natural, participando de tudo para que os colaboradores compreendam as minhas ideias e tornem o processo mais eficaz.”

A proximidade com todos torna o entendimento das atividades e procedimentos mais claros. “Eu prefiro estar perto para que a mensagem seja mais direta, do que repassar para outro profissional até chegar àquele que tem que exercer determinado papel.”

Além disso, o CEO se considera mais do que apenas um chefe. “Me considero muito mais um participante da equipe do que um patrão”, afirma. 

E para que esse processo funcionasse da maneira mais produtiva possível, Léo Mello, no último ano, desenvolveu, com uma empresa especializada, um organograma da Cetro.

 “As equipes começaram a ser divididas por segmento e foram definidos os gestores de cada setor. Trouxemos pessoas de fora para criar essa organização e deu certo”, conta Léo. 

Leia mais: Vale a pena investir em Gastronomia?

Quais foram os desafios enfrentados pela pandemia?

A pandemia foi um divisor de águas para muitos empreendedores. 

Mas, apesar de ter noção do cenário que enfrentaria, o empresário teve uma ideia que trouxe excelentes frutos: investiu em uma máquina de envase de álcool em gel. 

Dessa forma, a demanda foi tanta que a empresa deu um salto de 80 funcionários em 2020 para mais de 200 colaboradores atualmente

Léo recorda terem máquinas no estoque para atender a essa demanda e que precisou reforçar a equipe em quantidade para dar conta das necessidades dos clientes. 

“A pandemia não mudou os nossos planos. Muito pelo contrário. A Cetro cresceu e de forma a contribuir com o combate da pandemia”, diz. 

Há planos de expansão?

A Cetro está localizada em Bauru, interior de São Paulo, em uma cidade com mais de 350 mil habitantes e é um polo industrial em desenvolvimento. 

Além de Bauru, a empresa possui filiais em São Paulo, capital, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte e planos para instalar uma filial em Recife

Em Bauru é feita toda a parte de logística, onde ocorre o recebimento das mercadorias no centro de distribuição. É por lá que é feito o despacho para o cliente final e das filiais. 

E a Cetro tem outros projetos de expansão. 

Uma nova sede está sendo construída em Bauru com um investimento de cerca de 6 milhões de reais.

“Todas as mercadorias serão verticalizadas. A nova sede terá quatro vezes a capacidade de armazenamento atual e de movimentação de carga”. 

Já consolidado no mercado nacional, Léo Mello estuda investimentos no exterior. 

Segundo o empresário, os fornecedores que o atendem visualizaram o crescimento expressivo da companhia e o questionaram sobre a possível atuação no mercado externo.

A ideia é solidificar esse plano para os próximos anos.

Quer ler a entrevista completa do Fundador e CEO da Cetro Máquinas? Acesse o site da The Winners.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.

Você já ouviu falar sobre o Equilíbrio Emocional?

Tudo que realizamos em nossas vidas refletem em diferentes sensações, como alegria, felicidade, ansiedade, medo e diversas outras emoções.

E por trás de tantos sentimentos, existe o reflexo daqueles que afetam diretamente o nosso comportamento e o equilíbrio emocional.

A falta de controle das emoções interfere na capacidade de tomada de decisões importantes e ajudar a superar as dificuldades do dia a dia.

Dessa forma, o equilíbrio emocional auxilia no autoconhecimento e possibilita uma melhor compreensão dos relacionamentos interpessoal (externo) e intrapessoal (interno).

Assim, quem se conhece melhor, está ciente das suas fraquezas e forças, permitindo o aperfeiçoamento dos pontos fortes e correção das falhas visando minimizar os pontos fracos.

O que é o equilíbrio emocional?

Equilíbrio emocional é uma competência comportamental que possibilita entender a influência das emoções para exercer o controle dos sentimentos, mesmo em situações extremas.

O equilíbrio emocional permite ter clareza e mais segurança para resolver conflitos e sair de problemas com facilidade, com o objetivo de optar pelas decisões mais corretas, harmônicas e racionais.

Contudo, o equilíbrio emocional pode ser alcançado através do gerenciamento da emoção e técnicas da inteligência emocional.

Ou seja, isso significa combinar o conhecimento de si próprio com a compreensão das motivações interpessoais em busca do domínio do comportamento.

As pessoas emocionalmente equilibradas conseguem mudar padrões de comportamentos impulsivos.

Por exemplo, o modo como a crítica é expressa pode desencadear uma reação automática, onde não temos consciência das emoções e deixamos que elas controlem a mente no momento de estresse, adotando uma postura agressiva para nos defender.

Mas é possível quebrar alguns padrões ao incluir um instante para refletir as nossas atitudes, evitando ações precipitadas.

Por isso, entender o que está por trás do nosso comportamento pode auxiliar a potencializar o equilíbrio emocional e a resiliência.

NOTA: O que é resiliência? A palavra resiliência está associada à capacidade de lidar com os próprios problemas e superar momentos difíceis, diante de situações adversas.

Como desenvolver seu equilíbrio emocional?

A sobrecarga emocional recebida em diversos ambientes pode elevar o nível de irritabilidade e diminuir a tolerância.

E nos momentos conflituosos, é importante ter calma para optar pelas decisões ponderadas e cultivar ações que fortaleçam o desenvolvimento do equilíbrio emocional.

Separamos alguns passos importantes para você seguir.

Pratique o autoconhecimento

O autoconhecimento é o principal transformador do equilíbrio emocional.

Por isso, é importante compreender o que nos impulsiona, os nossos interesses e gatilhos.

Com o autoconhecimento, podemos entender quais os nossos limites para prevenir o esgotamento mental e físico.

Uma dica é evitar conversar com pessoas que adotam posturas tóxicas e sufocam as suas ideias.

Gerencie seus pensamentos

Os nossos pensamentos estão diretamente conectados às emoções, dessa forma, um influencia o outro.

Para quem busca o controle das emoções, é preciso investir na mudança de pensamento, visando os positivos e estimulantes.

É nesse momento em que devemos, ao identificar um pensamento negativo, abrir espaço para lembranças positivas.

Além disso, com o passar do tempo, a dinâmica de preencher a sua mente com pensamentos inspiradores pode se tornar um hábito e te ajudar no desenvolvimento do equilíbrio emocional.

Tenha consciência das emoções

As emoções não funcionam de maneira lógica, pois são desencadeadas por estímulos internos e externos.

Por isso, algumas pessoas com autoconhecimento acabam deixando de lado o gerenciamento das suas emoções.

Além disso, em alguns casos, os sentimentos são provocados através de preocupações excessivas, que podem levar à crise de ansiedade.

Ao saber como gerenciar as emoções, podemos diminuir estímulos estressantes e valorizar a qualidade de vida.

Escute o seu corpo

O nosso corpo e mente reagem quando algo não está indo bem.

Aliás, o corpo não está programado para lidar com o estresse a longo prazo.

Por isso, a situação de estresse impacta de modo negativo na nossa saúde física e mental.

Dessa forma, pode causar sintomas como:

  • Mudanças no apetite, energia e interesses;
  • Problemas para dormir;
  • Dificuldade de concentração;
  • Medo, raiva, tristeza e preocupação;
  • Dores de cabeça, corpo, problemas de estômago e erupções cutâneas.

Nesses casos procurar dormir bem, alimentar-se melhor e praticar exercícios podem ser uma saída e te ajudar em alguns momentos.

Crie válvulas de escape

Para as rotinas intensas, recheadas de pressão e sobrecarga emocional, devemos criar válvulas de escape para aliviar toda a tensão mental adquirida.

Por isso, reserve um momento para praticar exercícios, adquira um passatempo ou comece aquele curso que você sempre quis fazer.

Busque quebrar a rotina que está acostumado com pequenos momentos para você, que pode ser uma pausa para café, um tempo de leitura ou mesmo assistir suas séries favoritas.

Seja grato(a)

O ato de praticar gratidão visa se desvincular do que não foi bom e das derrotas.

Assim, busca-se o agradecimento pelas conquistas e evoluções obtidas ao longo da vida.

Quando nos sentimos gratos, temos uma enorme transformação em nossas vidas.

E mais: tornar o ato de sentir gratidão um hábito permite às pessoas maior qualidade de vida, assim como equilibra a saúde física e mental.

Quais as principais causas do desequilíbrio emocional?

Como já dito, o desequilíbrio emocional ocorre quando as nossas atitudes são geradas automaticamente, afinal, ocorrem diante dos gatilhos e estímulos.

Por essa razão, é preciso repensar nas soluções para as situações adversas do nosso cotidiano.

Impulsividade

Conforme o perfil de cada pessoa, é possível perceber se o indivíduo é mais ou menos impulsivo.

Porém, a impulsividade pode ser prejudicial, pois aumenta o desequilíbrio emocional.

Rotina estressante

Nos momentos em que devemos nos dedicar e nos esforçar bastante em determinadas áreas.

Quanto maior a demanda de atenção para uma atividade maior a sobrecarga que, em alguns casos, gera uma rotina de estresse.

Mudança repentina

A segurança é uma necessidade humana e temos receio de mudanças.

Mais do que ser paciente com as emoções, pois esses momentos vão passar e, em breve, estaremos acostumados com a situação, criando uma zona de conforto.

A pandemia de COVID-19 gerou impactos na saúde emocional?

Através do clima de incerteza causado pela pandemia de COVID impactou a saúde mental de todos.

Além de estarmos vulneráveis e expostos à ameaça do vírus, há o temor do futuro  e as consequências da recessão e desemprego.

Com isso, os sentimentos de ansiedade e exaustão se tornam presentes, contribuindo para o desequilíbrio emocional, afetando a nossa produtividadequalidade de vida e também felicidade.

Dessa forma, em momentos assim, devemos manter a sensatez e a calma para evitar que o medo domine as nossas emoções.

Uma boa forma de receber ajuda é conversar sobre esses sentimentos ruins, buscando amparo profissional.

Como adquirir equilíbrio emocional no trabalho?

Mas como ter equilíbrio emocional diante das situações no trabalho?

No ambiente corporativo pode ser que você encontre situações ou tenha problemas pessoais que interfiram na sua carreira.

Portanto, manter a harmonia no ambiente de trabalho é importante, seja para melhorar o relacionamento com os demais colaboradores ou para conhecer e entender as reais necessidades do seu cliente para concluir um negócio.

Para agregar equilíbrio na sua rotina, separamos algumas dicas que podem te ajudar:

  • Evite se importar com críticas e opiniões alheias, pois dizem mais sobre os outros do que sobre você;
  • Aprenda mais sobre você e pratique o autoconhecimento;
  • Coloque-se no lugar do outro e entenda a sua perspectiva;
  • Realize uma comunicação assertiva e busque retirar a carga emocional dos seus comentários;
  • Diante de crises ou conflitos, procure não responder no mesmo tom.
  • Procure fazer uma pausa e tirar um momento para refletir antes de responder.

Qual a importância do equilíbrio emocional para os líderes?

E se você for gestor pode apoiar sua equipe ao criar um ambiente de segurança e cuidados.

Afinal, o equilíbrio emocional pode ser construído positiva e coletivamente.

E para isso é essencial uma comunicação eficiente.

Praticar o equilíbrio emocional possibilita que o líder atue com empatia, para entender os sentimentos e as situações para agir com prudência, promovendo uma liderança efetiva.

Porém, para manter relacionamentos saudáveis e assumir o protagonismo na sua carreira, é preciso desenvolver o equilíbrio emocional.

Esse controle contribui para a qualidade de vida, autoconfiança e sensação de bem-estar.

Peça ajuda 

estresse contínuo também pode desencadear depressão e ansiedade, principalmente em quem tem histórico dessas condições.

Por isso, se você ou alguém que você ama começar a sentir-se triste, ansioso ou irritado de forma persistente, é importante consultar um profissional.

Lembramos ser fundamental contar com um profissional de bem-estar emocional para encontrar a base dos seus problemas e evitar mais estresse.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.

Atualmente, o setor industrial está incorporado em grande parte da sociedade, e é impossível imaginar como seria a vida sem este setor.

É importante ressaltar que podemos contar com um grande advento tecnológico: a Indústria 4.0. Assim, tecnologias como impressão 3D, big data, processamento em nuvem e inteligência artificial, são ferramentas que podem ser aplicadas para lidar com qualquer situação.

A 4ª Revolução Industrial diz respeito às máquinas que operam de maneira inteligente. Através da fusão entre o mundo físico e digital, as transformações tecnológicas estão forçando diversas organizações a repensarem seus processos.

Em comemoração ao Dia Nacional da Indústria, separamos algumas informações acerca do setor e a sua relação com a Indústria 4.0 ao transformar processos, aumentando a produtividade e capacidade produtiva.

História da Indústria no Brasil

A história da indústria brasileira é recente comparada à de outros países. Isso porque a maior parte das instalações industriais estão ligadas à manutenção, consolidação e integração dos setores.

Afinal, apenas nos anos 1990, o Brasil, ao notar o contexto industrial ao redor do mundo, decidiu adotar uma política de competitividade. E esse fator permitiu com que a economia brasileira aumentasse de maneira considerável.

Dessa forma, o dia 25 de maio é uma data importante, pois as homenagens são destinadas às indústrias, um setor conhecido por abranger os mais variados tipos de mercados.

Portanto, o Dia Nacional da Indústria foi escolhido em homenagem ao patrono da indústria nacional, Roberto Simonsen, que faleceu na data em 1948.

Simonsen foi engenheiro industrial, administrador, professor, historiador e político, além de membro da Academia Brasileira de Letras (ABL).

Impacto da pandemia na Indústria

A crise exigiu mudanças rápidas para suportar o novo cenário sem uma reestruturação profunda. E como o avanço da tecnologia é inevitável, devemos sempre estar em constante aprendizado.

Por isso, vários empreendimentos precisaram se adaptar a essa realidade, em que as tecnologias da Indústria 4.0 são parte fundamental para caracterizar tudo o que há de moderno para produção dos bens de consumo, como automação, inteligência artificial e internet das coisas.

Assim, agilidade, escalabilidade e automação são algumas das palavras-chave da nova era de negócios.

Dessa forma, enquanto empresas lutavam para continuarem funcionando, seja por conta da falta de funcionários ou insumos, outras reestruturaram seus processos para acompanhar o aumento na demanda, como no caso de suprimentos médicos.

Portanto, devemos reavaliar e repensar nossos modos de consumo, fornecimento, interação e produtividade.

A modernização da Indústria Brasileira

O movimento de modernização está iniciando no Brasil. As empresas continuam associadas aos tradicionais modelos de produção, pouco sofisticados e dependentes de processos manuais.

Apesar disso, a pesquisa da Fiesp indica que o conhecimento das empresas de foco industrial sobre a indústria 4.0 está em crescente. Muitos gestores veem o conceito como uma oportunidade, e não risco.

Ou seja, a tendência é que a indústria 4.0 se inclua gradualmente nas empresas, conforme o preparo para investir e necessidade de inovar de cada um.

Segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a aderência à indústria 4.0 poderá acontecer de forma gradual, assim, estima-se que, em até 10 anos, 15% das empresas já tenham o conceito inserido em suas atividades.

Leia mais: A relação da automação com o aumento da margem de lucro

O que é Indústria 4.0?

A Indústria 4.0 é um conceito que leva inovação tecnológica para a produção.

Esse movimento permite controle da informação e automatização dos processos, que facilita o trabalho e acelera o ritmo produtivo.

Mas, apesar da ciência proporcionar benefícios, a internet e automação dos processos são o centro da nova indústria.

As máquinas estão mais informatizadas, permitindo um desempenho autônomo e com pouca influência humana.

Automação e Produtividade

Melhorar a produtividade é uma das grandes metas da indústria, independentemente da sua vertical e as cadeias de suprimentos precisam se reconfigurar em tempo real.

Assim, a combinação de recursos ideais definirá o sucesso das empresas, permitindo que a produção seja dimensionada conforme a demanda, através de análises que avaliem a necessidade de determinado produto e a disponibilidade de matéria-prima para sua fabricação.

Por isso, a Indústria 4.0 busca cada vez mais a manutenção baseada em plataformas inteligentes e integradas, analisando as informações sobre desempenho e confiabilidade enviadas por sensores para reduzir falhas ou paradas inesperadas.

Pensando nisso, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou uma pesquisa que comprova: empresas com tecnologias da indústria 4.0 estão mais preparadas.

Esse estudo utilizou dados de empresas que já adotaram tecnologias da Indústria 4.0 com aquelas que ainda relutam em adotar. Confira:

  • 54% das indústrias com tecnologias da Indústria 4.0 registraram um lucro igual ou superior antes da pandemia. O índice cai para 47% para quem não se adequou;
  • 30% das indústrias que adotaram tecnologias 4.0 aumentaram o quadro de funcionários, contra 22% das que não adotaram;
  • A lucratividade é maior em 29% das empresas indústrias que adotaram tecnologias da Indústria 4,0, caindo para 25% para aquelas que não adotaram nenhum recurso;
  • Entre aquelas que utilizam sistemas de conexão máquina-máquina e sensores, os percentuais são de 32% e 30%.
  • Por fim, a pesquisa revelou que as tecnologias da Indústria 4.0 que mais impactam positivamente na lucratividade das empresas são os sistemas de conexão máquina-máquina, sensores, big data e inteligência artificial.

Benefícios da Indústria 4.0

Os benefícios adquiridos com a implantação da Indústria 4.0 são diversos.

Afinal, o uso das tecnologias na indústria permitiu aumentar, em 22%, a capacidade produtiva de empresas dos variados segmentos.

Entretanto, muitos empreendedores acreditam que requer altos investimentos, em que somente grandes empresas possuem acesso ao modo de produção.

Por isso, antes de investir na modernização dos processos, é preciso um planejamento adequado com a realidade da sua empresa.

Dessa forma, poderá acarretar a redução dos custos, de forma gradual,  sem interferir no orçamento.

Leia mais: Você sabe o que é Indústria 4.0? 

Como se preparar para a nova Indústria?

A Indústria 4.0 está relacionada às inovações tecnológicas, tendências e maneiras de se integrarem.

Se você deseja preparar sua empresa para o futuro da Indústria 4.0, acompanhe nossas dicas:

  1. Avalie as necessidades da sua empresa

Você precisa fabricar mais produtos em menos tempo? Na era da Indústria 4.0, identificar áreas de melhoria é o primeiro passo para obter mais benefícios da revolução.

  1. Identifique o papel da automação

Se você faz parte de uma pequena empresa, provavelmente pensa que a Indústria 4.0 não atende às suas necessidades. Mas antes de rejeitar o conceito, considere os benefícios:

  • Computação e processos controlados;
  • Informações em tempo real sobre os estágios do desenvolvimento de produtos;
  • Otimização da operação.
  1. Eduque sua força de trabalho

Em todas as fases no processo de mudança, tenha certeza de que seus funcionários sejam instruídos das novas operações. Isso irá garantir uma transição suave, com menos estresse, reduzindo os erros.

Leia mais: Como a automação aumenta a produtividade da sua empresa?

E se você quer empreender com os equipamentos corretos e contar com uma assistência completa para qualquer lugar do país, saiba que a Cetro oferece soluções completas para automatizar sua produção de maneira prática e rápida.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.

Ao falar sobre o futuro do mercado de trabalho, precisamos deixar algo claro: o futuro que tanto falamos é hoje. E com a nova pandemia de coronavírus muitas coisas foram aceleradas, grande parte delas no ambiente de trabalho.

Isso porque a covid-19 surgiu com muitas incertezas no quesito emprego, porém, algumas oportunidades foram aparecendo ao longo do tempo.

Afinal, experimentar, testar, errar e aprender fazem parte da jornada dos empreendedores que se arriscam em novas áreas em busca de outras fontes de renda que tragam mais segurança e estabilidade.

Um novo cenário

A pandemia trouxe mudanças significativas no mundo do trabalho, antecipando tendências que vinham sendo implantadas gradativamente, como o home office e a seleção de profissionais através do meio online.

Além disso, gerou um cenário em que os modelos de organização ágil assumem uma importância muito maior. Assim, as organizações perceberam a necessidade de desenvolver habilidades mais humanas, porque o que se move dentro dessas organizações são processos sociais e então a criatividade se torna a habilidade mais procurada por recrutadores.

Dessa forma, as mudanças das relações de trabalho envolvem configurações para priorizar a segurança e saúde dos funcionárioscritérios de contratação e novos métodos para medir a produção dos colaboradores.

Porém, no contexto de trabalho atual, as competências humanas são cada vez mais importantes e difíceis de encontrar. E entre as habilidades humanas mais buscadas, destacam-se a criatividade, a colaboração e a empatia.

Mudanças no Trabalho

Home Office

Entretanto, a grande mudança trazida pela Covid-19 foi a implantação do home office.

Afinal, com o isolamento, o trabalho remoto foi a melhor saída para continuar as atividades daqueles profissionais cujo emprego não exija presença física.

Apesar disso, a mudança trouxe desafios como: manter o mesmo número de horas trabalhadas e a produtividade sem supervisão direta; aumento de gastos com água, luz e internet em casa; assegurar a comunicação de forma virtual; além do equilíbrio do trabalho com a vida pessoal.

De acordo com Susan Hayter, consultora técnica na Organização Internacional do Trabalho, grandes empresas anunciaram que o trabalho remoto será o padrão adotado.

Para ela, a questão é como adaptar as práticas de trabalho e colher os benefícios do trabalho remoto sem perder o valor social e econômico do trabalho presencial.

Organização do trabalho

De acordo com Susan Hayter, em meio à desaceleração econômica causada pela pandemia e aumento das taxas de desemprego, a possibilidade de promover mudanças se mostrou uma importante ferramenta para frear os números em declínio.

E isso significou semanas de trabalho mais curtas ou acordos de trabalho para evitar folgas em períodos com menos funcionários, da mesma forma em que é reformulado o regime de expedientes para garantir o equilíbrio entre vida profissional e pessoal a longo prazo.

Novas culturas organizacionais

A cultura organizacional reúne os comportamentos, hábitos e valores que uma determinada empresa segue.

Além disso, esse conjunto é aplicado nas tomadas de decisão, relacionamento entre os colaboradores e em qualquer situação que envolva essa organização.

Por isso, a ideia é que todos continuem construindo esses códigos de conduta para que o ambiente se torne melhor.

Da mesma forma, a formalidade que existia em empresas, aos poucos, vem dando lugar a menos burocracias, de maior integração entre os trabalhadores, com valorização profissional e flexibilidade.

Mas esses benefícios vêm com responsabilidades, como discussões sobre diversidade e respeito com os colaboradores.

Demanda por qualificação

Cortes de gastos foram uma solução encontrada por muitas empresas para se manterem operantes durante a pandemia.

Mas, com a crescente do desemprego, a busca por qualificação nunca foi tão alta. Enquanto as organizações buscam pessoas que realmente façam a diferença em seu crescimento, os próprios colaboradores sentiram essa necessidade de desenvolvimento.

Com o tempo ganho com o home office, muitos profissionais se dedicaram à qualificação por conta própria. Por outro lado, os que já possuem um diploma de ensino superior buscaram especialização e atualização profissional.

Os cursos sobre finanças, saúde e segurança no trabalho, entraram no radar das pessoas.

Automação

Contudo, para recuperar a receita diante de um cenário de incerteza, a tecnologia se mostrou uma grande aliada para enfrentar esses desafios, ajudando as empresas a otimizar seus processos.

Dessa forma, para manter a qualidade e garantir a continuidade dos processos, investir em inovação e automação se tornou fundamental para fazer mais com menos tempo e recursos.

Isso porque a automação ajuda a reduzir a incidência de errosmelhorando os índices de qualidade. Desse modo, os processos se tornam mais otimizados e aumentam a produtividade.

Manutenção da produtividade

Muitas empresas que buscaram se adaptar ao trabalho remoto tiveram queda na capacidade produtiva. Mas, ao automatizar os processos, essa situação pode ser contornada.

Afinal, você pode automatizar tarefas que eram realizadas manualmente e gastavam muito tempo dos funcionários. Desse modo, os colaboradores podem focar em dar continuidade aos negócios, sem se preocupar com a execução.

Redução de gastos e desperdícios

Além disso, é importante reduzir gastos e eliminar desperdícios. Através da automação, você poderá realizar análises produtivas para identificar falhas, atrasos e pontos que precisam ser alterados.

Dessa forma, alguns equipamentos ajudam a gerenciar os processos internos, simplificando a elaboração de relatórios e reduzindo sobrecargas de trabalhos e custos com a mão de obra.

Leia mais: Como aumentar a produtividade da sua empresa?

Novos horizontes

Os desafios no ambiente de trabalho geraram muita preocupação, sobretudo em relação à instabilidade econômica e oferta de empregos.

Porém, as mudanças servem como oportunidades para repensarmos o modo como trabalhamos e o que valorizamos em nossos funcionários.

Por isso, a Cetro quer contribuir para o seu empoderamento, ajudando a se reinventar e seguir seus sonhos. Afinal, o processo de reinvenção é contínuo e futuro é um processo de aprendizagem que devemos seguir.

E se você quer empreender com os equipamentos corretos e contar com uma assistência completa para qualquer lugar do país, saiba que a Cetro oferece soluções completas para automatizar sua produção de maneira prática e rápida.

Continue acompanhando o Blog da Cetro para novos conteúdos que podem contribuir com seu crescimento pessoal, profissional e empresarial.

A Cetro está fornecendo equipamentos e máquinas para as maiores empresas do país, que estão migrando parte de seu funcionamento para a produção de insumos e produtos que ajudam no combate ao Covid-19.

Com o surto do vírus, houve na mesma medida, uma grande procura de produtos como o álcool gel, máscaras, aventais para os trabalhadores da área da saúde e outros insumos que serão extremamente utilizados pela população em geral. Com isso, grandes empresas se dispuseram a colocar uma parte considerável de seus funcionamentos para a produção desses insumos, mesmo tendo pouca ou quase nenhuma experiência ou familiaridade com este tipo de produção.

Para produzir da melhor maneira, combinando produtividade, padronização, segurança e altos níveis de qualidade, algumas máquinas são necessárias, e os processos são inúmeros, principalmente para aquelas empresas que necessitam começar a sua produção do zero e já em grande escala. Se pararmos para pensar em todos os produtos que ajudarão no combate à nova epidemia, faremos uma lista enorme de máquinas que entrariam em uma linha de produção, mas para exemplificar, iremos centralizar o assunto no produto mais procurado: o álcool gel. Desde as rotuladoras até as paletizadoras, falaremos de todos os equipamentos que têm a capacidade de, em conjunto, automatizar, quase que ou completamente uma linha de produção. Aqui vão as máquinas que fazem parte desta lista:

  1. Rotuladoras
  2. Mesas Abastecedoras
  3. Envasadoras
  4. Posicionadoras e Rosqueadoras Automáticas ou Rosqueadoras manuais.
  5. Mesas Acumuladoras
  6. Enfardadeiras ou Fechadoras de Caixas
  7. Paletizadoras

Para quem deseja produzir em menor escala, qual máquina é essencial?

Com certeza, as envasadoras têm o papel mais importante dentre todos os processos. Elas têm a capacidade de dosar a quantidade exata de produto do frasco tendo inúmeros volumes de dosagem e capacidade. As envasadoras automáticas em linha podem ter entre 2, 4, 6 ou 8 bicos de envase, tendo a capacidade de atender a linhas de diferentes tamanhos. Além dessas, existem as envasadoras semiautomáticas, que contam com um ou dois bicos de envase e se adequam perfeitamente a pequenas e médias demandas, tendo o mesmo processo de funcionamento das automáticas.

“Todas as nossas envasadoras têm as partes que tocam o produto construídas em inox 304, o corpo do equipamento é constituído por um inox da linha 200, que também é um material muito bom e que não irá oxidar com facilidade. As máquinas tornam o processo, além de mais produtivo, muito mais prático e fácil, ou seja, o produtor poderá levar operadores que hoje fazem o processo de envase para outras áreas, além de diminuir a mão de obra, ele ganham em outras partes da produção.”  É o que fala  Luiz Arão, Engenheiro da Cetro.

A segurança e qualidade dos produtos é algo fundamental, principalmente no momento que vivemos. Sem um bom produto e um bom processo de embalo, esses fatores não têm nenhuma importância e essas máquinas ajudam e muito nos processos.

Luiz Arão também cita que a quantidade de bicos do equipamento é um fator determinante no aumento da produtividade, assim como o volume a ser envasado. Quanto maior a quantidade de bicos do equipamento escolhido, unido a uma menor quantidade de produto a ser envasado por bico, mais vantajoso e rápido será o processo.

O que nos faz fornecer máquinas para as maiores empresas do Brasil?

No momento em que vivemos, existe muita facilidade na importação de equipamentos, mas existem alguns fatores que fazem com que engenheiros, diretores e compradores de grandes empresas do país prefiram a Cetro. O primeiro de todos é a qualidade dos equipamentos, pois, sem qualidade, nenhum dos outros fatores lhe importaria. A partir disso, a segurança é algo importante, escolher uma empresa que possui um corpo técnico grande, com engenheiros especializados em adaptações e no funcionamento da máquina é algo fundamental para eles, assim como os técnicos capacitados, prontos para colocar a máquina em funcionamento na linha de produção. Outro fator muito importante, principalmente nos dias de hoje, é a pronta entrega, escolher uma empresa que pode fazer o start técnico no dia seguinte é algo importante para o grande empresário, isso pode significar muito dentro de seu mercado. A Cetro só consegue unir estes fatores devido ao seu profissionalismo e por ter um estoque grande de equipamentos.

Como conseguimos fazer uma linha de álcool gel em tão pouco tempo?

A Cetro produziu e continua produzindo álcool gel em uma linha de produção própria, o que nos permitiu dar o melhor atendimento a quem gostaria de produzir e também nos trouxe a possibilidade de ajudar no combate à pandemia, tudo isso anteriormente à instalação dessas linhas em algumas grandes empresas. Claro que, em todas essas instalações, existem processos específicos, assim como personalizações e adaptações nos equipamentos, mas a linha própria foi a base para a construção das outras.

Além disso, as máquinas trazem a possibilidade de adequação a outros produtos num momento futuro, pós pandemia, o que traz uma maior tranquilidade para quem investe. Então, além de poder se inserir no mercado para os produtos que estão em alta na crise, todos os equipamentos permitem às empresas que sua linha, que já existia, possa ficar ainda mais autônoma e produtiva.

Precisa adquirir equipamentos, fazer testes com seus produtos, conhecer nossas máquinas?

A Cetro continua atendendo a todos os clientes no momento da crise e espera poder ajudar a todos a passar por esse momento sem maiores percalços. Se houver a necessidade de testes, para a linha de envasadoras ou outras demandas, nossa equipe comercial e técnica continua preparada para atender a todos.

Ter uma linha de produção completa, com autonomia e consequentemente alta produtividade pode te ajudar nos momentos de crise. Mas quais seriam estes benefícios?

Simples: além de permitir que você tenha um gasto consideravelmente menor com mão de obra, podendo reduzir em até 80% os custos mensais, uma linha de produção com máquinas versáteis pode garantir que você tenha capacidade de se adequar à demanda de um momento de crise, aumentando a intensidade de sua produção, ou diminuindo-a, de acordo com o necessário para a devida circunstância.

Outro ponto importante que uma linha de produção traz é a capacidade de adaptação a novos produtos. Em momentos difíceis, a adequação ao mercado é uma característica muito importante e normalmente separa as empresas que passarão pela crise das que dificilmente conseguirão seguir em frente. Grande parte dessa adequação pode acontecer com o lançamento de novos produtos pelas empresas, assim como vemos algumas grandes empresas hoje com a produção de máscaras e álcool gel.

Além disso, o aumento da produção através da automação dos processos te dá a capacidade de construir um estoque que garantirá pronta entrega para seus produtos por considerável tempo dentro da sua empresa, sem contar com a capacidade que a empresa terá de gerar facilmente um novo capital de giro, se necessário, podendo abaixar os preços dos produtos e abrir mão de uma parte do lucro, passando a ganhar na quantidade de vendas, já que os produtos podem ser entregues no momento da venda.

Como passar pela crise sem a automação?

Se você já produz em pequena e média escala, não é necessário que todos os seus processos estejam automatizados para passar pelos momentos de crise, mas um ponto importante citado nos parágrafos anteriores é a capacidade de adaptação às novas demandas.

Ouvir o que os seus clientes estão precisando naquele momento também faz com que eles se sintam atendidos e vejam em você ou no seu negócio mais do que uma compra e venda de produtos, mas uma parceria.

Nos dias de hoje, por exemplo, quem vende alimentos e produtos para casa e ainda não começou a fazer entregas, passará por dificuldades. Se você vendia na porta de eventos ou até mesmo dentro de grandes eventos, terá que se adaptar, seja mudando o seu produto, divulgando-o em novos meios ou o inserindo em aplicativos de entrega.

Passarei pela crise apenas com os cuidados com a minha empresa?

Não, é claro que em um momento de crise, alguns cuidados pessoais com gastos e desperdícios financeiros também são fundamentais, assim como com a sua saúde física e emocional. Reduzir gastos desnecessários, manter a tranquilidade, uma rotina de exercícios físicos e atividades que te ajudem a se manter útil e criativo são de extrema importância.

Se você quer saber tudo sobre como a automação pode te ajudar, ou melhorar o seu negócio, seja ele pequeno, médio ou grande, confira todas as dicas no Blog da Cetro.

Muito se sabe que em épocas de controle de epidemias o assunto higiene e cuidados pessoais vem mais à tona, e junto a ele, a utilização de produtos que facilitam e são os responsáveis por essa higiene também cresce. O álcool em gel, por exemplo, já acabou em muitas lojas, farmácias e mercados e por isso, crescem na internet receitas caseiras, métodos não convencionais e a indicação de produtos que na verdade não são indicados para a higiene pessoal.

Mas no que acreditar nessas horas, será que tudo isso é apenas uma invenção para vender esses produtos?

A resposta é não. A higiene pessoal e a utilização desses produtos são coisas normais e deveria ser comum todos os dias, mesmo fora da época de pandemia. A gripes normais e resfriados também são vírus e muito provavelmente são adquiridos da mesma forma que o tão temido corona, ou seja, através do ar. Essas gripes e resfriados do dia-a-dia, são conhecidas pelos médicos e especialistas como viroses, e elas, muito provavelmente, podem ser evitadas assim como o Corona, com cuidados com a higiene pessoal e com possíveis áreas por onde o vírus passou, bem como evitar locais onde há acumulo de pessoas.

Por que o álcool precisa ser 70%?

O álcool 70%, como o próprio nome já diz, possui 70% de sua massa formada por álcool e o restante em agua. Essa concentração é necessária porque a composição age em conjunto dentro do organismo do vírus, de forma que a água aja como a porta de entrada para o álcool, que desnatura as proteínas do organismo, desta forma, o vírus bactéria ou fungo é neutralizado muito mais rapidamente. Além disso, os 30% de água na formula faz com que quando o gel entre em contato com a pele, não evapore tão rapidamente.

Os produtos caseiros funcionam?

Depende! Você tem que tomar muito cuidado ao fazer receitas lidas na internet, prefira sempre aquela receita de uma fonte que você confia, ou de quem se diz especialista da área. As receitas caseiras não possuem elementos importantes que estão presentes nos industrializados ou manipulados e muitas vezes não garantem eficácia alguma.

Além disso, muitas receitas caseiras trazem alguns tipos de produto que podem ser prejudiciais à saúde, principalmente a da pele, produtos ácidos como o vinagre, se forem submetidos à luz do sol, podem acabar queimando qualquer área que teve contato com ele. O vinagre também não tem a capacidade de impedir a proliferação dos vírus como o álcool gel, já que ele só possui 5% de ácido acético, que faria o papel do álcool, em sua composição, o que não é, nem de longe, a quantidade necessária.

Mas se não tem nas lojas, como faço?

Os produtos não estão em plena falta. É possível achar o álcool em gel, desinfetantes para a limpeza diária, e outros produtos para a casa nos mercados e vendas. É claro que em muito menos quantidade se comparado a épocas fora da pandemia, portanto, quando encontrar o produto desejado, compre e utilize-o sempre que necessário, mas seja moderado. Além disso, nada substitui bons hábitos de higiene, lavar as mãos em toda sua extensão e pelo tempo recomendado, que normalmente é de 20 segundos.

Onde e como o álcool gel é feito?

O álcool gel pode ser feito em qualquer farmácia de manipulação, ou até mesmo em casa, mas com os produtos necessários: o Carbopol 940 (10g), a Trietalonamina AMP 2000 (10 gotas), o álcool 96% unido a 30% de água (totalizando 1L), ou apenas o álcool 70% (1L).

Para fazer, basta unir primeiramente o carboprol a mistura de água e álcool e esperar a hidratação por 24 horas, quando estiver hidratado, adicionar o AMP 2000 e misturar, até que a combinação de componentes vire uma mistura cremosa e transparente, chegando em seu ph ideal que é de 5,5. A partir daí, basta envasar este álcool em frascos adequados ou em embalagens de refil para os recipientes de parede.

O envase é um dos momentos mais importantes da fabricação. Neste momento, é necessário extremo cuidado e higiene, por isso, empresas deste ramo utilizam, sempre, máquinas produzidas em aço inoxidável e de fácil limpeza para que não exista o risco do acúmulo de impurezas e de corrosão.

Fique ligado no Blog da Cetro e não perca nenhuma dica para o seu dia a dia, ou para o dia a dia da sua empresa, seja para aumentar a sua produtividade ou para você ter uma vida melhor.