Acesse a Loja

Novas tendências e tecnologias irão mudar a indústria e os modelos de produção nos próximos 10 anos 

No dia 30 de junho de 2022, durante o Encontro Nacional da Indústria (ENAI), maior evento empresarial do país, mais de 1,5 mil empresários e representantes da indústria reuniram-se com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) para elaborar o Mapa Estratégico da Indústria 2023-2033. 

O objetivo deste documento é definir qual a direção de políticas públicas e o que deve ser feito para que as indústrias brasileiras avancem nos próximos 10 anos. 

Segundo o presidente da CNI, Robson Andrade, as tecnologias modernas e a digitalização trouxeram benefícios para a indústria nacional, como produtos com melhor qualidade, aumento da capacidade produtiva e bens industriais com custo reduzido. 

Diante disso, podemos fazer a seguinte pergunta: quais são as expectativas para o setor da indústria nos próximos anos?  

Para respondermos a esta pergunta, vale conferir primeiro qual foi a evolução da indústria desde sua origem. 

Como a indústria evoluiu até hoje? 

Conforme o passar dos anos, a indústria passou por várias “revoluções”, termo empregado quando é adotada uma tecnologia de produção totalmente diferente da usada até então.  

Confira abaixo um resumo sobre cada revolução industrial que aconteceu até os dias de hoje:  

Primeira Revolução Industrial 

Início: Século 18, no ano de 1760. 

Tecnologias empregadas: Energia a vapor e produção mecanizada, além de recursos como carvão, ferro e lã. 

Exemplos: Navios e locomotivas com motores a vapor e tear mecânico. 

Segunda Revolução Industrial 

Início: Século 19, entre os anos de 1850 até 1870. Também houve o surgimento das indústrias elétrica e química. 

Tecnologias empregadas: Eletricidade, linhas de montagem para produção e uso de materiais como aço e petróleo. 

Exemplos: Produção em massa (como ocorreu com o Ford Model T), remédios, fertilizantes, motores a combustão, processos automatizados e máquinas, criando assim a maquinofatura. 

Terceira Revolução Industrial 

Início: Década de 1950, após a Segunda Guerra Mundial. 

Tecnologias empregadas: Computadores programáveis, equipamentos eletrônicos, indústrias nas áreas de eletrônica, informática, genética, robótica, telecomunicações, etc. 

Exemplos: Robôs industriais, foguetes, energia atômica, alta tecnologia, ligas metálicas e modelo de produção Toyotista.  

Quarta Revolução Industrial ou Indústria 4.0 

Início: Década de 2010 até hoje. 

Tecnologias empregadas: Engenharia genética, computação em nuvem, inteligência artificial (IA), ciber segurança, sistemas integrados, internet das coisas (IoT), drones e digitalização. 

Quinta Revolução Industrial: a próxima etapa 

Apesar de estarmos vivenciando a fase da Indústria 4.0, profissionais de várias áreas já discutem sobre a Quinta Revolução Industrial, ou Indústria 5.0. 

Enquanto a Indústria 4.0 é marcada pelo alto desenvolvimento tecnológico e da interligação de dispositivos via web por meio da internet das coisas (IoT), a Quinta Revolução Industrial irá, segundo especialistas, integrar a inteligência humana com a artificial, principalmente no campo da robótica. 

Em outras palavras, é previsto que haja uma interação maior entre homem e máquina. 

Isto não quer dizer, por exemplo, que empregos feitos por humanos serão extintos, pelo contrário: o alinhamento que citamos aqui criará uma sociedade superinteligente, compartilhando seus conhecimentos.  

Um exemplo de tecnologia da Indústria 5.0 que já está sendo usada são os cobots: robôs colaborativos que trabalham lado a lado com humanos em linhas de produção, incluindo aparafusamento, final de linha, empacotamento, montagem e outras funções. 

As vantagens que a Quinta Revolução Industrial trará para a indústria são o aumento da produtividade, custos otimizados e empresas mais eficientes. 

Em resumo: a Indústria 5.0 irá aprimorar as tecnologias que já temos no mercado e aproximá-las ainda mais de nós, com uma interação não vista antes. 

Já que sabemos quais foram as revoluções industriais que aconteceram no mundo e o que está por vir, vamos conhecer as expectativas para a indústria nos anos seguintes.  

Digitalização de processos 

Um tópico que já está em andamento e que deverá ser mais utilizado em breve é a simplificação de processos por meio da tecnologia. 

Um exemplo claro disto é a telemedicina, que já era regulamentada no Brasil e foi potencializada pela pandemia da Covid-19.  

Por meio dela, pacientes podem realizar consultas médicas de qualquer localidade, inclusive de lugares remotos.  

A telemedicina encurtou a distância entre médicos e pacientes, resultando em economia de tempo e recursos, além de ampliar o atendimento para mais pessoas. 

Outro exemplo relacionado aos processos digitalizados está na engenharia: a manutenção de equipamentos e máquinas pode ser feita de forma on-line, evitando o deslocamento para um local que seja muito longe. 

Maior foco em educação, inovação e práticas de ESG 

Para que as futuras novas tecnologias possam ser usadas na indústria, é fundamental que todos aprendam como operá-las. 

Por isso, as modalidades de educação, tanto a básica quanto a profissionalizante, devem capacitar os alunos para o novo momento que está por vir, no qual as demandas ficarão ainda mais complexas. 

O ensino superior também tem um papel importante a cumprir: investir cada vez mais em pesquisa, inovação e desenvolvimento, juntamente com o setor industrial.  

Além disto, os consumidores estão mais atentos com relação as práticas de ESG (sustentabilidade, responsabilidade social e governança corporativa) das empresas e indústrias.  

Planejar segundo a realidade 

Cada dia que passa estamos mais próximos do futuro. Sendo assim, planejar os passos seguintes agora é importante para que a indústria esteja a par com o que acontece no mundo. Mas o que deve ser planejado? 

Respondendo à pergunta acima, o setor industrial deve estruturar ações relacionadas a tendências que estão em alta hoje e vão continuar assim nos próximos anos. 

Essas tendências envolvem temas como inclusão, diversidade, transparência, segurança da informação (com o uso da LGPD) e a questão da humanização, que vamos explicar abaixo. 

Quando falamos em humanização para um futuro próximo, falamos na valorização das pessoas que atuam no setor industrial, permitindo que elas tenham maior influência nas melhorias e decisões tomadas.  

Como exemplos de medidas para esta humanização, destacamos as jornadas de trabalho híbridas, ambientes mais confortáveis para os funcionários, apoio emocional e psicológico, entre outras ações. 

Através destas ações, o clima organizacional torna-se mais saudável, os colaboradores sentem-se mais seguros e menos propensos a deixarem a empresa onde trabalham. 

Outras tendências que podem ser constatadas aqui são: 

  • Assinatura de produtos, como por exemplo carros e eletrônicos; 
  • Conectividade, ou seja, estar disponível a qualquer momento e em qualquer lugar; 
  • “Delivery de tudo”, no qual o produto pode ser entregue em qualquer local; 
  • Desejo do consumidor por uma vida mais saudável; 
  • Entender em quais canais o cliente quer que você esteja; 
  • Energias renováveis e o uso da economia circular, composta por novos processos produtivos, reaproveitamento de embalagens, etc. 

Políticas industriais bem definidas 

Os governos locais possuem um papel importante no desenvolvimento industrial, através da contrapartida de benefícios fiscais, infraestrutura e outras questões.  

Nos últimos anos, diversos países passaram a direcionar mais esforços para essas políticas, como os Estados Unidos, China, Japão, Coreia do Sul e os países-membros da União Europeia. 

Com o Brasil não pode ser diferente: para que a indústria nacional possa continuar avançando, é necessário que seja construída uma política que garanta mais produtividade, mais inovação, modernização digital de atividades e menor nível de poluição. 

E como fazer isso? Por meio da simplificação tributária, redução de custos e processos menos burocráticos. Desta forma, as indústrias nacionais poderão competir em pé de igualdade com as demais concorrentes. 

Prepare-se para o futuro com as máquinas da Cetro! 

Todas essas questões que foram apresentadas aqui fazem parte do que se espera para o setor industrial nos próximos anos. E você já pode começar a fazer parte deste futuro com os produtos da Cetro! 

Nossos equipamentos para linhas de produção garantem o mais alto nível de qualidade e desempenho para sua indústria se desenvolver e alcançar o sucesso! 

Veja nossas opções de máquinas clicando neste link. 

Para mais conteúdos e dicas que vão ajudar sua empresa a crescer sempre, continue acompanhando o blog da Cetro

tt ads

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.